“Pneumonia química exige cuidado imediato”, diz especialista sobre Carioca

  • Por Camila Cechinel/Jovem Pan
  • 18/12/2014 21h05
Carioca - Márvio Lúcio

Na noite da última quinta-feira (18) o humorista Márvio Lúcio, o famoso Carioca dos Programas “Pânico na Band” e “Pânico na Rádio”, da Jovem Pan, voltou para casa após assustar seus fãs e passar três dias internado na Unidade de Tratamento Semi-Intensiva do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, com quadro de pneumonia química. O comediante havia passado mal após aspirar componentes expelidos de uma tinta spray utilizada como maquiagem para caracterização da personalidade “Seu Jorge” no último domingo (14) para o programa da televisão.

Para explicar melhor do que se trata a doença, a JP Online entrou em contato com o Dr. Marcos Arbex, membro da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT). “Quando conteúdos químicos são inalados e vão para os pulmões, inflamam os alvéolos [pequenos sacos de ar que promovem a troca entre o oxigênio que respiramos e o gás carbônico que produzimos], geram infecções que dificultam as trocas respiratórias e causam a pneumonia”, disse.

“Qualquer pneumonia pode matar. A química exige cuidado imediato porque é mais sensível. Diferente da pneumonia bacteriana, que afeta apenas uma parte do pulmão, essa pode comprometer todo o órgão”, completou.

O médico ainda afirmou, apesar de não ter tido contato com Carioca, que ele deve ter chegado ao nível intermediário da doença: “para o humorista ter sido internado em Unidade Semi-Intensiva, ele provavelmente aspirou uma grande quantidade do produto químico”.

Na quarta-feira (17), já em tratamento, o humorista usou a rede social para tranquilizar seus fãs sobre seu estado de saúde. E aproveitou para brincar com a situação: “os médicos querem que eu fique de repouso e descanse…Confesso que estou ótimo. Mais uma vez: amigos, família, seguidores, enfim, estou MUITO bem! É daqui pra São Silvestre”, escreveu.