Após lançar documentário, Netflix pede para assinantes não se apaixonarem por serial killer

  • Por Jovem Pan
  • 28/01/2019 20h09
Divulgação/NetflixTed Bundy é o tema de um documentário da Netflix

A Netflix lançou na última semana “Conversando com um Serial Killer: Ted Bundy”, um documentário sobre o serial killer Ted Bundy, que foi responsável por mais de 30 assassinatos nos anos 1970. Muitas das vítimas eram mulheres atraídas pelo charme do assassino, que também cometeu uma série de crimes sexuais. Cerca de 30 anos após sua morte, o criminoso segue seduzindo muita gente – o que fez com que a empresa de streaming pedisse para que as pessoas não o romantizarem.

“Eu vi muita gente falar que o Ted Bundy é supostamente bonito e queria fazer um gentil lembrete de que existem literalmente milhares de homens bonitos no mundo – e quase todos eles não foram condenados por assassinatos em série”, diz um tweet postado nesta segunda-feira (28) no perfil oficial da Netflix dos Estados Unidos.

No dia em que “Conversando com um Serial Killer: Ted Bundy” foi lançado, o perfil da Netflix no Reino Unido já tinha feito um outro alerta aos assinantes e pediu para que eles não assistissem ao documentário sozinhos.

Além do documentário da Netflix, a história de Ted Bundy também será contada no filme “Extremely Wicked, Shockingly Evil and Vile”, no qual o serial killer é interpretado por Zac Efron.