Diretores negros fazem história em lista de filmes mais lucrativos de 2018

  • Por Jovem Pan
  • 04/01/2019 13h09
Divulgação"Pantera Negra", de Ryan Coogler, foi um dos 100 filmes mais lucrativos de 2018 nos Estados Unidos

O movimento de diversidade e inclusão em Hollywood deu resultados em 2018, quando 14% dos 100 filmes mais lucrativos do ano nos Estados Unidos foram dirigidos por cineastas negros, de acordo com estudo da USC Annenberg Inclusion Initiative. O número é 270% maior do que no ano passado.

Alguns dos filmes que entraram na lista foram “Pantera Negra“, de Ryan Coogler, “Infiltrado na Klan”, de Spike Lee, e “Creed II”, de Steven Caple Jr. Além de sucessos comerciais, os longas também agradaram a crítica, tanto que os dois primeiros concorrem ao Globo de Ouro de melhor filme de drama neste domingo (6).

Outro filme muito importante na lista é “Uma Dobra no Tempo”, de Ava DuVernay. Apesar de não ter sido um grande sucesso comercial, o longa é o primeiro dirigido por uma mulher negra a faturar mais de US$ 100 milhões em bilheteria.

Nem tanta inclusão assim

Por outro lado, as mulheres seguem com pouca representatividade no cinema. Dos 100 filmes mais lucrativos de 2018 nos Estados Unidos, apenas 4 foram dirigidos por mulheres: “Não Vai Dar”, de Kay Cannon, “Sexy por Acidente”, de Abby Kohn, e “Meu Ex é um Espião”, de Susanna Fogel, além de “Uma Dobra no Tempo”, de Ava DuVernay.

De 2007 a 2018, só 4,3% dos 1.200 filmes mais lucrativos foram assinados por mulheres. Isso significa que a cada filme dirigido por uma mulher que entra na lista, há outros 22 dirigidos por homens.

Para mulheres que não são brancas, a conta é pior ainda. Desses 1.200 filmes, apenas cinco foram dirigidos por negras, três por asiáticas e só um foi feito por uma diretora latina.