‘Game of Thrones’: George R. R. Martin quer 3 mil páginas (ou mais) em últimos livros

  • Por Jovem Pan
  • 21/05/2019 15h29
Reprodução/TwitterE não, o autor não deu previsão de lançamento para os dois últimos livros da saga "As Crônicas de Gelo e Fogo"

George R. R. Martin, autor de “As Crônicas de Gelo e Fogo”, coletânea de livros que deu origem a “Game of Thrones“, publicou um texto em seu blog pessoal falando sobre o fim da série, que teve o seu último episódio exibido pela HBO no domingo (19).

“A última noite, o último episódio. Após oito temporadas épicas, a série ‘Game of Thrones’ da HBO chegou a um fim. É difícil acreditar que acabou, para falar a verdade. Os anos se passaram num piscar de olhos”, começou o autor.

Ele relembrou a primeira reunião feita para tratar sobre a produção da série, com David Benioff, D. B. Weiss e seu empresário, Vince Gerardis: “Eu não tinha ideia de que naquela tarde eu estava para embarcar em uma jornada que iria mudar a minha vida.”

George R. R. Martin também fez agradecimentos ao elenco, à produção e à equipe envolvida em “Game of Thrones”, antes de falar sobre o assunto que desperta a curiosidade de muitos fãs: os livros da saga “As Crônicas de Gelo e Fogo” terão o mesmo fim que a série “Game of Thrones”?

“Como tudo vai acabar? Ouço as pessoas perguntando. O mesmo fim que a série? Diferente? Bem… Sim. E não. E sim. E não. E sim. E não. E sim”, escreveu, causando certo mistério.

Em seguida, continuou: “Eu estou trabalhando em um meio muito diferente de David e Dan, nunca se esqueçam. Eles tinham seis horas para esta última temporada. Eu espero que os meus últimos dois livros preencham 3 mil páginas manuscritas antes que eu acabe. E se mais páginas e capítulos e cenas forem necessárias, eu irei adicioná-las.”

George R. R. Martin ainda citou exemplos de mudanças entre “As Crônicas de Gelo e Fogo” e “Game of Thrones”: “Existem personagens que nunca foram para as telas, e outros que morreram na série, mas permanecem vivos nos livros.”

“Livro ou série, qual será o final ‘real’? É uma pergunta estúpida. […] Que tal o seguinte? Eu vou escrever. Vocês vão ler. Então todos podem tirar suas próprias conclusões e debater sobre elas na internet”, encerra o autor.

*Com Estadão Conteúdo