Harvey Weinstein queria Tarantino na direção de “O Senhor dos Anéis”

  • Por Jovem Pan
  • 04/05/2018 08h53
Reprodução/ EFEDiretor de "Kill Bill" poderia ter sido o responsável pela adaptação

Quentin Tarantino, popular em todo o mundo por seu gosto por cenas exageradamente sangrentas, dirigindo o épico repleto de batalhas O Senhor dos Anéis. Já imaginou? Pois isso chegou bem perto de acontecer de verdade. É o que o autor inglês Ian Nathan publicou em Anything You Can Imagine: Peter Jackson & The Making of Middle-Earth (em tradução literal, Tudo Que Você Pode Imaginar: Peter Jackson e os bastidores da Terra Média), livro que conta histórias ainda não conhecidas pelo grande público sobre a franquia.

Segundo o The Guardian, Peter Jackson tentou inicialmente realizar o projeto da adaptação da obra de J.R.R. Tolkien com a Miramax, estúdio dos irmãos Harvey e Bob Weinstein. Foi aí que os problemas começaram. Weinstein exigiu que Jackson fizesse apenas um filme de no máximo duras horas de duração ao invés de uma trilogia. Caso contrário, ameaçou substitui-lo por John Madden ou Tarantino.

“Harvey dizia ‘ou você faz desse jeito ou você não faz de jeito algum’. ‘Você estará fora’. ‘Eu tenho o Quentin na espera para dirigir esse filme'”, disse, ao autor do livro, o produtor Ken Kamins.

Ao perceber a dificuldade, Jackson desistiu e levou o projeto a outra empresa, a New Line Cinema, com a qual resolveu fechar. E não é que mesmo assim Weinstein continuou atrapalhando seu trabalho? Segundo ele, o produtor inventou uma série de calúnias e difamações sobre Ashley Judd e Mira Sorvino (duas de suas vítimas de assédio sexual) para que elas não fizessem parte do elenco. “Suspeito que recebi falsas informações sobre essas mulheres talentosas e, como resultado direto, seus nomes foram removidos da nossa lista de candidatos”, afirmou Jackson em uma entrevista no ano passado. Na ocasião, o produtor negou as acusações.