Quatro filmes brasileiros são indicados ao Festival de Cannes

  • Por Jovem Pan
  • 18/04/2019 13h26
Divulgação/Victor Jucá"Bacurau", de Kleber Mendonça Filho, concorre à Palma de Ouro no Festival de Cannes

O Festival de Cannes, mostra de cinema que ocorre em maio na França, anunciou seus filmes selecionados para a edição de 2019. Quatro obras brasileiras figuram entre os escolhidos, duas delas competindo pela Palma de Ouro, principal premiação, e outras duas na mostra alternativa Um Certo Olhar.

O diretor pernambucano Kléber Mendonça Filho, que já exibiu em Cannes seu filme “Aquarius“, em 2016, concorre novamente com seu novo longa, “Bacurau”, em codireção com Juliano Dornelles. O filme foi descrito como uma mescla de gêneros como faroeste e ficção científica em pleno sertão nordestino.

“O Traidor”, dirigido pelo italiano Marco Bellocchio, narra a história de Tommaso Buscetta, mafioso italiano que alcaguetou seus antigos companheiros da Cosa Nostra e se refugiou no Brasil. O filme, que foi produzido no Brasil, também concorre à Palma de Ouro.

Fora da disputa pelo prêmio máximo de Cannes estão “A Vida Invisível de Eurídice Gusmão”, de Karim Ainouz, e “Port Authority”, de Danielle Lessovitz.

Além dos filmes brasileiros, também concorrem à Palma de Ouro os novos títulos dos diretores Terrence Malick, Pedro Almodóvar, Jean-Pierre e Luc Dardenne, Ken Loach e Xavier Dolan. O longa “The Dead Don’t Die”, com Bill Murray e um elenco recheado de estrelas, vai abrir o evento.

Veja abaixo a lista de filmes selecionados:

Palma de Ouro

“The Dead Don’t Die”, de Jim Jarmusch
“Atlantique”, de Mati Diop
“Bacurau”, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles
“Frankie”, de Ira Sachs
“A Hidden Life”, de Terrence Malick
“It Must Be Heaven”, de Elia Suleiman
“Les Misérables”, de Ladj Ly
“Little Joe”, de Jessica Hausner
“Matthias & Maxime”, de Xavier Dolan
“Roubaix, une Lumière”, de Arnaud Desplechin
“Parasite”, de Bong Joon Ho
“Portrait de la Jeune Fille en Feu”, de Céline Sciamma
“Sibyl”, de Justine Triet
“Sorry We Missed You”, de Ken Loach
“Dolor y Gloria”, de Pedro Almodóvar
“O Traidor”, de Marco Bellocchio
“The Whistlers”, de Corneliu Porumboiu
“The Wild Goose Lake”, de Diao Yinan
“Le Jeune Ahmed”, de Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne

Um Certo Olhar

“Adam”, de Maryam Touzani
“Dylda”, de Kantemir Balagov
“La Femme de Mon Frère”, de Monia Chokri
“Bull”, de Annie Silverstein
“The Climb”, de Michael Covino
“EVGE”, de Nariman Aliev
“Liberté”, de Albert Serra
“A Vida Invisível de Eurídice Gusmão”, de Karim Aïnouz
“Jeanne”, de Bruno Dumont
“Chambre 212”, de Christophe Honoré
“Papicha”, de Mounia Meddour
“Summer of Changsha” de Zu Feng
“Port Authority”, de Danielle Lessovitz
“Les Hirondelles de Kabul”, de Zabou Breitman e Eléa Gobé Mévellec
“O Que Arde”, de Olivier Laxe
“Zhuo Ren Mi Mi”, de Midi Z

Fora da competição

“Le Plus Belle Annés D’Une Vie”, de Claude Lelouch
“Maradona”, de Asif Kapadia
“La Belle Époque”, de Nicolas Bedos
“Rocketman”, de Dexter Fletcher
“Too Old to Die Young ”, de Nicolas Winding Refn
“The Gangster, the Cop, the Devil”, de Lee Won-Tae
“Family Romance, LLC.”, de Werner Herzog
“For Sama”, de Waad Al Kateab e Edward Watts
“Que Sea Ley”, de Juan Solanas
“Share”, de Pippa Bianco
“Être vivant et le savoir”, de Alain Cavalier
“Tommaso”, de Abel Ferrara

*Com Estadão Conteúdo