Aidar descarta Cleiton Xavier como substituto de Kaká: “nem sei quem é”

  • Por Jovem Pan
  • 08/12/2014 14h08
Carlos Miguel Aidar participa do Esporte em Discussão

O presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, não fugiu de nenhum assunto em sua participação no Esporte em Discussão, da Rádio Jovem Pan, nesta segunda-feira (8). O mandatário Tricolor foi enfático em dizer que o meia Cleiton Xavier, atualmente no Metalist da Ucrânia, não será o substituto de Kaká, que encerrou seu período de empréstimo ao fim do Campeonato Brasileiro.

“Ele não vai ser o substituto do Kaká. Nem sei quem é”, afirmou Aidar, desconhecendo o futebol do meia que já teve boa passagem pelo Palmeiras.

Com a contratação do lateral esquerdo Carlinhos já encaminhada, o presidente Tricolor contou que não tem condições de comprar o passe de Alexandre Pato, que tem contrato de empréstimo com o clube do Morumbi até 31 de dezembro de 2015. Segundo o mandatário, se não houver uma renegociação do valor com o Corinthians, o atacante dificilmente permanecerá.

“Não há dinheiro para comprar o Pato. Ele custa R$ 15 milhões até o fim de 2015 e depois R$ 10 milhões. Se não der para renegociar, não terá como ficar com o Alexandre Pato. Mas é bom ressaltar que ele tem contrato de empréstimo até 31 de dezembro de 2015”, enfatizou.

Se Aidar não se mostrou animado com o camisa 11, o mesmo não aconteceu quando o nome foi Paulo Henrique Ganso. Para ele, se o maestro tivesse mostrado seu ótimo futebol desde o início da temporada, estaria sendo convocado para defender a Seleção Brasileira.

Após assumir o comando do time do Morumbi, Aidar investiu pesado em alguns nomes para reforçar a equipe de Muricy Ramalho para buscar títulos no segundo semestre. Sem atingir seu principal objetivo, o São Paulo acabou fechando o ano no vermelho. Aidar transpareceu tranquilidade sobre isso e explicou que pretende zerar a dívida em 2015.

“Financeiramente o São Paulo termina o ano como devedor, com uma divida bancária e fiscal quase nenhuma. Estamos planejando pagar essa dívida em 2015. Vamos negociar a saída dessa divida do balanço transformando-a em direito futuros. Zerando essa divida e conseguindo tornar isso em realidade, conseguiremos economizar R$ 7 milhões por mês. Isso vai representar mais de R$ 100 milhões de economia no ano de 2015. Esse é o projeto e a ideia”, pontuou.

Muito confiante do que o Tricolor pode fazer na próxima Taça Libertadores, o presidente não se amedrontou com o “Grupo da Morte” da competição, com San Lorenzo, Danubio e provavelmente o Corinthians. Aidar acredita que a final será disputada entre o seu clube e o River Plate, da Argentina.

“Enfrentar o Corinthians é sempre difícil. É até bom, já que não precisamos viajar. Vai nos fortalecer muito e vamos pegar o River Plate na final, em 4 de agosto”, finalizou.