Apesar de bom retrospecto na Seleção, Diego Alves se vê longe da Copa

  • Por Felipe Motta / Jovem Pan
  • 24/02/2014 21h27

Com média de um pênalti defendido a cada três cobrados na Liga EspanholDiego Costa fala sobre Seleção

Seguir trabalhando. Esse é o lema do goleiro Diego Alves, titular do Valencia e da Seleção Brasileira na era Mano Menezes, onde realizou sete jogos e sofreu apenas um gol. Ciente que o grupo para a Copa do Mundo está praticamente fechado por Felipão, o atleta afirma em entrevista à Jovem Pan que continuará atuando bem pelo clube espanhol para quem sabe abocanhar uma vaguinha no Mundial.

“Eu sigo o meu trabalho da mesma maneira. Mesmo antes de ter sido convocado por Mano Menezes eu seguia o meu trabalho aqui na Espanha, tentando fazer o meu melhor e conquistando os meus objetivos aqui”, contou. Eu acredito que meu trabalho vem sendo feito de uma maneira positiva. Independentemente de eu ser convocado ou não, tenho que continuar trabalhando bem no Valencia. O Felipão já tem 99% do elenco fechado e já tem quem irá colocar em campo. É torcer para quem esteja na equipe faça um belo Mundial, porque é importante para o nosso país e nossa torcida ser campeão da Copa”, completou.

Com o bom futebol apresentado e a grande chance de não estar entre os 23 selecionados para a Copa do Mundo, Alves preferiu sair pela tangente quando foi questionado sobre defender outro país. Ele acredita que seu xará Diego Costa teve os seus motivos para ter escolhido a Fúria ao invés do Brasil.

“Ele deve ter os seus motivos e suas razões. Ele foi convocado pela Seleção, mas jogou pouco. Nesse momento de dúvida ele optou pela Espanha, que foi o país que o acolheu e onde ele cresceu no futebol. Foi uma opção da parte dele e se ele está feliz temos que respeitar da mesma forma como foi com o Pepe e o Deco em Portugal”, opinou.

Mesmo com Barcelona e Real Madrid como adversários, o goleiro faz um ótimo trabalho no país Europeu desde os seus tempos de Almeria. Segundo dados informados pela sua assessoria, Diego Alves teve que lidar com 28 penalidades e conquistou um ótimo aproveitamento de 50%. Foram 12 defesas e dois para fora do gol, sendo que duas dessas defesas foram contra Cristiano Ronaldo e Messi. Sobre os dois melhores jogadores do futebol mundial, o brasileiro ressaltou que é ótimo para a Liga Espanhola poder contar com eles e comentou sobre as qualidades de cada um.

“O Cristiano todo mundo já sabe como ele é. Nas faltas eu procuro montar as barreiras da melhor forma possível. Como ele é um grande cobrador, eu tento deixar um espaço para poder ver a saída da bola”, informou. “Com o passar do tempo, nós vamos conhecendo melhor esses atletas, como o Messi, que vem com a bola muito bem controlada e é muito difícil de pará-lo, então nós já temos experiência nessa parte. São dois jogadores fantásticos e para a Liga Espanhola, isso é espetacular”.

Há sete anos no futebol espanhol, Alves já teve importantes embates contra os dois craques. Mesmo tendo levado alguns gols com a bola rolando, nas penalidades ele conseguiu se sair melhor do que o camisa 7 dos Merengues. “Já tive a oportunidade de encarar os dois nas penalidades. O Messi cobrou três, fez dois e errou um. Contra o Ronaldo, ele bateu um e eu peguei, então na média contra o Cristiano eu to bem”, brincou.