Após cancelar Indy, governo do DF libera R$ 20 milhões para reforma de autódromo

  • Por Agência Estado
  • 06/02/2015 13h38
Vista aérea do Autódromo Internacional de Brasília, parte do Complexo Poliesportivo Ayrton Senna, em Brasília (DF). Ao fundo, o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, mais conhecido como Mané Garrincha. (Brasília, DF, 29.05.2013. Foto: Rubens Chaves/Folhapress)Autódromo Internacional de Brasília

Uma semana após cancelar a etapa de Brasília da Fórmula Indy, que seria realizada em março e abriria a temporada 2015 da categoria, o governo do Distrito Federal liberou, através de um decreto, uma verba complementar de R$20.479.297 para a conclusão das obras de reforma do Autódromo Nelson Piquet.

A decisão do governador Rodrigo Rolemberg (PSB) de liberar a verba, repassada à Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap), foi festejada pelo presidente da Confederação Brasileira de Automobilismo, Cleyton Pinteiro

“É uma vitória para o esporte a motor brasileiro. Brasília é uma praça esportiva importante para competições nacionais e vital para os campeonatos regionais”, comentou.

O cancelamento da etapa de Brasília foi divulgado na última quinta-feira, em comunicado divulgado pela Bandeirantes, promotora da corrida. O governo do Distrito Federal considerou excessivos os gastos com a organização da prova.

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios apontou diversas irregularidades no contrato firmado entre Terracap e a TV Bandeirantes para a realização da etapa da Fórmula Indy em Brasília, afirmando que a realização da prova no Distrito Federal seria lesiva ao cofres públicos.

O Distrito Federal passa por grave crise financeira, com reflexos como o atraso no pagamento de salários de funcionários públicos e fornecedores. Segundo o relatório, para receber a Indy em Brasília, o governo teria de gastar cerca de R$ 312 milhões para reformar o autódromo, ante os R$ 98 milhões estimados inicialmente.

A Indycar, responsável pela organização da Fórmula Indy, classificou a decisão de “inesperada e decepcionante”, lembrando que muitos ingressos já haviam sido vendidos, enquanto a Bandeirantes prometeu adotar “providências legais” para ser ressarcida. Além disso, destacou que o cancelamento deixava o autódromo sem condições de ser utilizado. Agora, com esse decreto, a reforma da pista deve ser concluída mesmo sem a realização da prova da Indy.