Antes de ser finalista, seleção da Croácia quase ficou fora da Copa, perdeu para Brasil e teve crise interna

  • Por Jovem Pan
  • 12/07/2018 11h25
Pedro Martins / MoWA PressCroácia e Brasil fizeram jogo equilibrado em junho

A classificação da Croácia para final da Copa do Mundo é uma das maiores surpresas da história do futebol. Não que falte talento na seleção. Todos sabem da qualidade de Luka Modric, Rakitic, Perisic, Mandzukic e companhia. Mas a preparação croata para a Copa foi cheia de turbulências e por isso ninguém esperava que ela fosse tão longe.

Na verdade a Croácia quase ficou fora da Copa do Mundo, pois foi muito irregular nas Eliminatórias. Estava em um grupo bastante equilibrado, com Islândia, Ucrânia, Turquia, Finlândia e Kosovo. Na penúltima rodada, chegou a empatar com os finlandeses, que já estavam eliminados. O técnico Ante Cacic foi demitido após este vexame.

O pouco renomado Zlatko Dalic assumiu a equipe com pouquíssimo tempo de preparação para o último jogo, contra a Ucrânia, fora de casa. Ele só tinha treinado times croatas, árabes e as seleções de base da Croácia. Mas deu certo. Venceu a Ucrânia, garantiu vaga na repescagem e depois bateu a Grécia, se classificando para Copa.

Futebol Copa do Mundo Eliminatórias Croácia

Mas é claro que as dificuldades não acabaram aí. Em março de 2018, a Croácia perdeu um amistoso para o Peru. Depois da pré-convocação, em 3 de junho, o time também jogou um amistoso contra o Brasil e foi derrotado por 2 a 0. Era uma equipe claramente instável, que alternava esses maus momentos com boas atuações. No dia 8, contra Senegal, a equipe brilhou no 2º tempo e venceu de virada por 2 a 1.

Mas uma crise interna, durante a Copa, também atrapalhou a equipe. Kalinic, jogador importante, que entrava no time com frequência, foi excluído do elenco após a vitória contra a Nigéria, por 2 a 0. Surgiram boatos de que ele tinha se recusado a sair do banco de reservas porque só jogaria nos minutos finais. A federação informou que ele estava com problema nas costas e só por isso estava dispensado. De qualquer forma, o atacante viu do sofá a Croácia brilhar na Copa, mesmo com apenas 22 atletas no elenco.

Depois dessa crise, a Croácia voou na Copa. Fez a 2ª melhor campanha da fase de grupos e superou 3 prorrogações para chegar na final. Mas era impossível algum analista prever que uma zebra tão grande surgiria na Rússia.