Özil se defende de críticas por foto ao lado do presidente da Turquia

  • Por Agência EFE
  • 22/07/2018 13h18
Reprodução/Twitter @AkpartiO volante Ilkay Gündogan, outro dos convocados pelo técnico Joachim Löw para a Copa do Mundo, também estava na foto

O meia alemão Mesut Özil defendeu neste domingo (22) a decisão de posar em uma foto ao lado do presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, imagem que provocou uma grande polêmica entre os torcedores antes da Copa do Mundo.

Pelas redes sociais, Özil afirmou que negar o encontro com Erdogan seria uma “falta de respeito” com as raízes turcas de sua família. Além disso, o meia-atacante disse que não se arrepende e que tiraria novamente uma foto com Erdogan no futuro.

“Para mim, tirar uma foto com o presidente Erdogan não tem nada a ver com política ou com eleições, mas com o respeito para o cargo máximo do país da minha família”, explicou o jogador.

Esta foi a primeira vez que Özil, filho de imigrantes turcos que foram para a Alemanha, se pronuncia sobre a foto tirada em julho. O volante Ilkay Gündogan, outro dos convocados pelo técnico Joachim Löw para a Copa do Mundo, também estava na foto.

A imagem foi interpretada como um apoio explícito de ambos à campanha pela reeleição do presidente turco, que mantém uma relação de tensão com a chanceler da Alemanha, Angela Merkel.

Löw decidiu manter ambos na seleção e a própria Merkel pediu que os torcedores parassem de vaiá-los quando eles tocavam na bola.

Özil é considerado como uma peça-chave da seleção e da imagem da integração de imigrantes na Alemanha. São 3,5 milhões de descendentes de turcos no país, metade deles com direito a voto na Turquia.

A polêmica acompanhou os jogadores durante toda a Copa do Mundo e persistiu após a eliminação prematura da seleção da Alemanha, que defendia o título, na fase de grupos do torneio.

O diretor da seleção, Oliver Bierhoff, e o presidente da Federação Alemã de Futebol (DFB), Reinhard Grindel, chegaram a recriminá-los posteriormente por não ter explicado a foto antes do Mundial. As críticas foram vistas como uma tentativa de responsabilizar os dois atletas pelo fracasso na Copa do Mundo.

Özil explicou que repetiria a foto com um presidente da Turquia, independentemente de quem ele fosse. E afirmou que ele é simplesmente um jogador de futebol, não um político.

O meia garante que só conversou de futebol com Erdogan e lembrou que a única vez que se encontrou com ele antes da foto foi em um amistoso entre as seleções alemã e turca. Na ocasião, Merkel também estaria junto com o jogador.

A declaração de Özil não esclarece se o jogador tomou uma decisão sobre seu futuro na seleção da Alemanha.