Enfim, hexa! Veja as armas do Corinthians na conquista do título brasileiro

  • Por Jovem Pan
  • 06/11/2015 17h15
SÃO PAULO, SP - 07.11.2015: CORINTHIANS-CORITIBA - Torcedores do Corinthians durante a partida contra o Coritiba, válida pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro de Futebol 2015, neste sábado. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)Com uma campanha irreparável

Com a vitória do São Paulo sobre o Atlético-MG, o Corinthians conquistou o hexacampeonato brasileiro, igualando São Paulo e Flamengo. O clube paulista chegou aos 77 pontos ao empatar com o Vasco em São Januário, nesta quinta-feira (19), e não pode mais ser alcançado pelos rivais nas quatro rodadas restantes.

A campanha do Timão é irrepreensível. Assim como Cruzeiro (2013) e São Paulo (2007), tornou-se campeão com quatro rodadas de antecedência. Dentro de campo, possui o melhor ataque e a melhor defesa, além do maior número de vitórias. Nas arquibancadas, registra a média de público mais alta e o maior faturamento com bilheteria. No comando do time, conta com o treinador mais completo em atividade no futebol brasileiro.

Na era dos pontos corridos, o clube levantou o caneco em três oportunidades: 2005, 2011 e 2015. Veja as armas do Timão nesta conquista histórica:

Tite, o cara

O comandante corintiano talvez seja o maior responsável pelo título. Identificado com o clube, tem total confiança dos jogadores e é amado pela torcida. Além da já conhecida competência em articular sistemas defensivos sólidos, nesta temporada montou um ataque igualmente eficiente, que vem funcionando bem mesmo após a saída de Paolo Guerrero. O treinador mais vitorioso da história do Corinthians ergue pela segunda vez (2011 e 2015) a taça de campeão brasileiro.

Defesa sem brechas

Em 2015, a defesa do Timão segue como ponto forte da equipe. Entrosados, Gil e Felipe formam uma dupla de zaga segura, resguardados pelos volantes Ralf e Elias. Com Cássio vivendo boa fase – o goleiro está de volta à seleção brasileira – o sistema defensivo alvinegro ostenta o desempenho mais eficiente do campeonato: foram apenas 27 gols sofridos em 35 partidas, média de 0,8 por jogo.

Com média de 2,5 cartões amarelos por partida e apenas 2 vermelhos, o disciplinado time de Tite ainda não teve pênalti assinalado contra. Mas vale lembrar que o polêmico lance em que o lateral Uendel tocou a bola com a mão, no empate de 1 a 1 com o São Paulo, gerou intensos debates na mídia e a revolta dos tricolores. O árbitro Leandro Pedro Vuaden, contudo, nada marcou.

O ataque que desencantou

Desde 2008, quando o Corinthians retornou da Série B, o setor ofensivo nunca foi considerado uma arma letal. Entre idas e vindas, Mano Menezes e Tite vinham montando boas defesas. Neste campeonato brasileiro, entretanto, Tite conta com o melhor ataque da competição: Vágner Love (13 gols) e Jadson (12 gols), ocupam segundo e terceiro lugar na artilharia. Renato Augusto, Elias, Malcom e Luciano têm 5 gols cada. Até aqui, foram 63 tentos em 34 jogos, média de 1,8 por jogo.

O melhor aproveitamentdo em cobranças de pênaltis também é do Timão, o meia Jadson converteu as 5 penalidades marcadas a favor do time.

Torcida Fiel

A Fiel não decepcionou na Arena Corinthians: a média de torcedores por partida é de 32.492, a melhor entre os times da Série A. Como visitante, a média de 16.519 pagantes por jogo corresponde a 44% da ocupação nos estádios, números que mostram a força da torcida corintiana também fora de casa. Até o momento, o clube arrecadou R$ 64,3 milhões com bilheteria, a mais lucrativa do campeonato.

Tudo planejado

O Corinthians vem mantendo uma base competitiva e um estilo de jogo eficiente. Implantado por Mano e desenvolvido por Tite, o padrão tático do time começou a colher frutos ainda em 2009, um ano após o retorno à Série A, com os títulos Paulista e da Copa do Brasil. De lá pra cá, vieram o Brasileiro de 2011, Libertadores e Mundial de 2012, o Paulista e a Recopa de 2013 e o recém-conquistado Brasileiro de 2015.