Jailson e Mattos serão chamados para depor no TJD-SP

  • Por Jovem Pan
  • 26/02/2018 13h51
GIL GUZZO/O FOTOGRÁFICO/ESTADÃO CONTEÚDOGoleiro Jailson foi expulso e deu declarações polêmicas após o clássico

O goleiro Jailson e o diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, serão chamados para depor no Tribunal de Justiça Desportiva do Estado de São Paulo (TJD-SP). O órgão quer ouvir explicações sobre as reclamações quem ambos fizeram contra a arbitragem após o clássico do último sábado, diante do Corinthians, em Itaquera.

Jailson, que foi expulso após cometer pênalti em Renê Júnior, deu declarações fortes à imprensa e afirmou que o Palmeiras havia sido “garfado” no estádio alvinegro. Alexandre Mattos, por sua vez, foi conversar diretamente com o árbitro Raphael Claus após a partida e o interpelou sobre lances capitais do clássico.

As duas atitudes incomodaram o presidente do TJD-SP, Delgado Antonio Olim.

“Mesmo sem ler a súmula do juiz, mandei convocar o goleiro (Jailson). Ele vai ser chamado para dar explicações sobre o que falou. Não interessa se estava no calor do jogo, falou demais. Mandei chamar também o diretor de futebol do Palmeiras (Alexandre Mattos). Estive ontem com o Andrés (Sanchez, presidente do Corinthians), o Andrés disse que ele (Mattos) estava na boa, mas ele deu uma tumultuada. Também vai ser chamado para dizer por que abordou o juiz, o que ficou perguntando. Só vou esperar sair a súmula do juiz para ver se ele vai colocar alguma coisa sobre esse diretor, mas é bem provável que eu chame também. O goleiro já é certeza que vai ter que dar explicações pessoalmente, e esse diretor também”, revelou Olim, com exclusividade, à Jovem Pan.

A súmula de Raphael Claus já foi publicada. Nela, o árbitro confirma que Mattos o interpelou após o jogo, mas ressalta que a ação ocorreu na presença de Andrés Sanchez e “respeitosamente”.

“Informo que após o termino da partida, quando adentrávamos a zona mista, em direção ao vestiário da arbitragem, o sr. Alexandre Mattos, diretor de futebol da equipe SE Palmeiras, veio ao meu encontro respeitosamente perguntando sobre minha decisão no campo de jogo. Conversa esta realizada com a presença do presidente do SC Corinthians, Sr. Andrés Sanchez”, diz o documento.

A principal controvérsia do clássico entre Corinthians e Palmeiras aconteceu aos 15 minutos do segundo tempo, após a marcação de um pênalti de Jailson sobre Renê Júnior. Raphael Claus assinalou a infração com atraso e, de quebra, expulsou o goleiro alviverde. Jadson errou a penalidade, é verdade, mas, alguns minutos depois, um novo pênalti foi marcado e, dessa vez, convertido pelo time da casa.

O jogo terminou com triunfo alvinegro por 2 a 0.