Arrascaeta brilha, Cruzeiro vence por 2 a 0 e frustra aniversário do Sport

  • Por Estadão Conteúdo
  • 13/05/2018 13h45
JOãO GUILHERME/RAW IMAGE/ESTADÃO CONTEÚDOArrascaeta fez o segundo gol

No dia em que completou 113 anos, o Sport recebeu um presente de grego do Cruzeiro. Em domingo inspirado do uruguaio Arrascaeta, que deu uma assistência e fez um gol, o time mineiro ganhou por 2 a 0, no Mineirão, Belo Horizonte, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro.

O Cruzeiro, assim, chegou à segunda vitória consecutiva na competição e chegou aos mesmos sete pontos do Sport. O time mineiro está em oitavo, uma posição à frente do adversário – a Raposa leva vantagem no saldo de gols (1 contra -2).

Antes mesmo do primeiro minuto, Arrascaeta recebeu de Robinho e bateu forte. Magrão tentou segurar, mas soltou nos pés de Sassá, que mandou para fora – a arbitragem já assinalara impedimento do atacante. A resposta do Sport veio no lance seguinte: Rogério invadiu a área e chutou em cima de Fábio.

Após um início alucinante, a partida caiu de produção. O Cruzeiro tinha mais posse de bola, enquanto o Sport apostava no contra-ataque. Sandero foi até a linha de fundo e cruzou rasteiro para Rogério desviar. A bola só não entrou porque Léo mandou para escanteio de carrinho. Na cobrança de Marlone, Ronaldo Alves cabeceou ao lado da trave.

O Cruzeiro teve um gol anulado aos 33 minutos, quando Egídio cruzou rasteiro e Sassá, em posição duvidosa, completou de carrinho. Na sequência, Gabriel recebeu dentro da área e bateu para boa defesa de Fábio. Quando parecia que o primeiro tempo terminaria empatado, Arrascaeta cruzou e Dedé cabeceou no canto de Magrão, que nada pôde fazer.

Logo no início do segundo tempo, o uruguaio cruzou e Sassá chegou um pouco atrasado. E, aos dez minutos, o Cruzeiro ampliou: o próprio Arrascaeta bateu colocado de fora da área e não deu chances para Magrão.

O segundo gol fez o Sport se lançar ao ataque. Marlone arriscou de fora da área, mas pegou mal e isolou a bola, que quase saiu na lateral. Tranquilo, o Cruzeiro trocava passes esperando encontrar espaços para marcar o terceiro. E ele quase veio nos minutos finais: Arrascaeta cobrou falta na marca do pênalti e Dedé cabeceou forte, para grande defesa de Magrão.

Na sequência, Fabrício puxou para o meio e Fábio espalmou para escanteio. O goleiro cruzeirense voltaria a trabalhar em finalização rasteira de Rogério. Nos acréscimos, Dedé demorou para cobrar tiro de meta e recebeu o cartão amarelo, virando desfalque para o clássico contra o Atlético-MG.

O Cruzeiro volta a campo no próximo sábado, quando faz o clássico diante do Galo, às 16 horas, no Independência, em Belo Horizonte. No mesmo horário, mas no domingo, o Sport recebe o Corinthians, na Ilha do Retiro, em Recife.