Apesar de mágoa, Cristian não se arrepende de 2ª passagem pelo Corinthians: ‘Eu voltaria’ 

  • Por Jovem Pan
  • 19/07/2019 16h47
Daniel Augusto Júnior/Agência CorinthiansHoje com 36 anos, o volante Cristian conquistou quatro títulos com a camisa do Corinthians

Um Campeonato Paulista, uma Copa do Brasil, um Campeonato Brasileiro da Série B e um Campeonato Brasileiro da Série A. Cristian, definitivamente, marcou o seu nome na história do Corinthians. Dono de quatro títulos em menos de meia década de clube, o volante de 36 anos guarda o time alvinegro no coração. Mesmo que a experiência de voltar para uma segunda passagem pela equipe, em 2015, não tenha sido lá muito boa. 

“Não consigo ver assim”, respondeu o jogador, ao ser questionado pelo repórter André Ranieri, do Grupo Jovem Pan, se o retorno ao Corinthians havia deixado a sua imagem arranhada junto à torcida – a entrevista exclusiva vai ao ar, na íntegra, no próximo domingo, no Seleção Jovem Pan 

“A imagem você nunca tira. Independentemente se o jogador foi bem ou não, você não consegue apagar o que ele já fez. A minha imagem está lá, marcada. Eu tive algumas lesões que me atrapalharam muito, mas não me arrependo, não. Inclusive, se fosse para eu voltar hoje, eu voltaria. Não tem como ficar se arrependendo de uma coisa que já foi”, acrescentou. 

Folhapress

O discurso é necessário porque, indubitavelmente, Cristian não guarda boas lembranças da sua segunda passagem pelo Corinthians. Contratado com pompa após rescindir com o Fenerbahce em dezembro de 2014, o volante que ganhara status de xodó durante os primeiros anos de clube, entre 2008 e 2009, foi campeão brasileiro em 2015, é verdade, mas, desde que voltou, nunca jogou como imaginava – foram apenas 44 partidas disputadas em duas temporadas, sendo somente 27 delas como titular. Para piorar, um afastamento no primeiro semestre de 2017 deixou uma incômoda mancha na relação do jogador com o clube.

Então dono do segundo maior salário do elenco, Cristian foi à imprensa em março e não hesitou em reclamar da diretoria corintiana pela ausência na lista de inscritos para o Campeonato Paulista. Não contente, também se queixou de falta de apoio após o sumiço de sua aliança na pré-temporada nos EUA – em caso que envolveu até a polícia. Como consequência, foi afastado e duramente criticado por Flavio Adauto (diretor de futebol) e Alessandro Nunes (gerente de futebol).

Cristian passou a não ser relacionado para jogos e foi até colocado como opção para reforçar o Guarani na Série B. Foram cinco meses de ócio até que ele fosse emprestado ao Grêmio, time no qual foi campeão da Libertadores e pelo qual atuou até o término de seu contrato com o Corinthians, em dezembro de 2017. Turbulenta, a experiência de voltar a vestir a camisa do Timão após cinco anos na Europa rendeu mágoas ao volante, como ele mesmo revelou em outra entrevista exclusiva à Jovem Pan.

O que restou foi a possibilidade de disputar Campeonato Paulista e Copa Paulista pelo São Caetano, time no qual atuou entre o meio de 2018 e o primeiro semestre da atual temporada. Hoje sem clube, ele já admite até se aposentar. “Apareceram algumas sondagens, mas nada de concreto. Espero poder jogar e, se não acontecer nada, vou ver o que farei na minha vida, o que é melhor para mim”, finalizou.

A entrevista exclusiva de Cristian a André Ranieri vai ao ar, na íntegra, no próximo domingo, no Seleção Jovem Pan. Fique ligado!

MIGUEL SCHINCARIOL/PERSPECTIVA/AE