Bem no Japão, Jô mantém contato com Carille, mas pede paciência à Fiel: ‘É cedo pra pensar em voltar’

  • Por Jovem Pan
  • 15/05/2019 15h46
Facebook/DivulgaçãoJô tem 30 gols desde que chegou ao futebol japonês, no início do ano passado

“Volta pro Corinthians, cara!”. “Você está fazendo muita falta!”. “Seu lugar é aqui!”. “Saudades!”. Bastam poucos segundos nas páginas de Jô nas redes sociais para diagnosticar: a torcida do Corinthians tem uma verdadeira obsessão pelo retorno do centroavante. Artilheiro e craque do último Campeonato Brasileiro conquistado pelo Timão, em 2017, o jogador deixou o País há um ano e meio e, desde então, virou uma espécie de sonho de consumo da torcida alvinegra.

Uma volta neste momento, no entanto, está descartada. Em entrevista exclusiva ao repórter André Ranieri, da Rádio Jovem Pan, Jô celebrou o bom momento vivido no Nagoya Grampus, do Japão, revelou que mantém contato com o técnico Fábio Carille, mas afirmou: ainda é cedo para pensar em um retorno ao Brasil.

“O carinho que eu tenho pelo Corinthians é muito grande”, definiu. “Sou muito grato ao Corinthians e à torcida do Corinthians. Fico muito feliz por ler esses pedidos de retorno, porque é o reconhecimento do bom trabalho que eu fiz. Ganhei dois títulos brasileiros nas minhas duas passagens pelo clube… Os pedidos de volta são muitos, mas eu sempre falo para ter paciência para que um dia, se Deus permitir, eu possa voltar. Agora, ainda é cedo pra pensar em voltar ao Brasil”.

Jô foi vendido pelo Corinthians ao futebol japonês em dezembro de 2017. A transferência rendeu 11 milhões de euros (R$ 43 milhões) aos cofres alvinegros, mas, é claro, foi um baque para o time que havia acabado de ser campeão brasileiro com 18 gols do camisa 7, artilheiro e eleito o craque da competição. Um ano e meio depois, o elo entre Jô e Corinthians segue firme – não só pelo sentimento que o atacante nutre pelo clube, mas, também, pela amizade que ele mantém com Fábio Carille.

“A gente se fala ainda”, revelou o atacante. “Conseguimos criar, além de um vínculo profissional bacana, uma amizade muito legal. A gente se fala pelo telefone e não só sobre futebol. A gente fala sobre a vida, pergunta como está a família do outro… Criamos um vínculo bacana! Sou muito grato a ele pela oportunidade e confiança que me deu na minha segunda passagem pelo Corinthians”, acrescentou.

A fase no Japão, ao menos, é boa. Após salvar o Nagoya Grampus do rebaixamento no ano passado com 24 gols em 33 jogos – maior marca do Campeonato Japonês –, Jô se consolidou como principal nome da equipe nesta temporada. Já são seis gols em 13 partidas e uma surpreendente vice-liderança da J-League que deu, ao brasileiro, o status de ídolo da torcida.

“É bacana demais!”, celebrou. “Eu me sinto muito honrado e feliz com esse carinho da torcida. Desde o dia em que eu cheguei aqui, sempre recebi muito apoio, até quando estávamos lutando para não cair. Vejo muitas bandeiras do estado de São Paulo, do Brasil e algumas até do Corinthians nas arquibancadas… Isso é muito legal. Tento retribuir dando o meu melhor dentro de campo”, finalizou.

Jô tem contrato com o Nagoya Grampus até dezembro de 2020. A entrevista com o repórter André Ranieri vai ao ar, na íntegra, no próximo Plantão de Domingo, na Rádio Jovem Pan. Fique ligado!

Jô foi eleito o melhor jogador do Nagoya Grampus na última temporada e ganhou um carro da Toyota