Corinthians foi o time brasileiro que recebeu mais dinheiro da Fifa na Copa

  • Por Jovem Pan
  • 04/12/2018 11h55
Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians Fagner e Cássio estiveram com a Seleção Brasileira na Copa do Mundo

Por causa da Copa do Mundo, a Fifa distribuiu uma enorme quantia em dinheiro para clubes do mundo todo. E o Corinthians foi o maior beneficiado disso no Brasil, seguido de perto por Palmeiras e Flamengo.

A entidade criou esse pagamento para compensar os clubes que cedem jogadores para a Copa do Mundo. Os times estavam reclamando porque pagam os salários dos atletas e, eventualmente, os recebem de volta com lesões ou problemas físicos. Então 209 milhões de dólares (cerca de R$ 804 milhões) foram usados como recompensa no total.

No Brasil, o clube que mais ganhou com a Copa foi o Corinthians, com US$ 645 mil (R$ 2,4 milhões), contra US$ 435 mil (R$ 1,6 milhão) para o Flamengo e US$ 425 mil (R$ 1,63 milhão) para o Palmeiras. Por “emprestar” jogadores para diferentes seleções, Vasco, Cruzeiro, Grêmio e São Paulo receberam entre US$ 237 mil (R$ 911 mil) e US$ 322 mil (R$ 1,2 milhão). O Sport também levou mais US$ 41 mil (R$ 157 mil). No total, os clubes brasileiros somaram US$ 2,7 milhões (R$ 10,3 milhões).

Os times europeus receberam US$ 157 milhões (R$ 604 milhões). Isso porque, pelas regras da Fifa, quanto maior o número de jogadores fornecidos por um clube, e quanto mais tempo ele tenha passado na Rússia por conta do torneio, maior é o pagamento.

A lista é liderada pelo Manchester City, com US$ 5 milhões (R$ 19 milhões) e Real Madrid, com US$ 4,8 milhões (R$ 18,4 milhões), além de Tottenham, Barcelona, Paris Saint-Germain, Chelsea, Manchester United, Atlético de Madrid, Juventus e Monaco.

Durante o Mundial, 77% dos jogadores que foram à Rússia atuavam por clubes europeus. Mas, em seleções que dependiam essencialmente de seus jogadores que ainda atuam em seus campeonatos nacionais, o volume de dinheiro também foi importante. Mais de US$ 1 milhão foi dado ao Al Ahly (Egito) e aos sauditas Al-Hilal e Al-Ahli, Pachuca, do México. Na Argentina, o Boca Juniors também foi beneficiado.

“É responsabilidade da Fifa redistribuir a receita dessa competição entre toda a comunidade e os clubes merecem também pela contribuição que fazem ao sucesso”, indicou Gianni Infantino, presidente da Fifa.

O anúncio do dinheiro vem no momento em que os clubes europeus se mobilizam para romper com as entidades internacionais e criar sua própria liga, segundo revelou recentemente a iniciativa Football Leaks.

Com Estadão Conteúdo