Gustagol marca e evita derrota do Corinthians em Itaquera pela Copa Sul-Americana

  • Por Jovem Pan
  • 14/02/2019 23h30
ALE VIANNA/ELEVEN/ESTADÃO CONTEÚDOGustagol faz de cabeça aos 42 minutos do segundo tempo e comemora na Arena Corinthians

O Corinthians pode não ter iniciado bem a temporada 2019, mas Gustagol vive um grande momento com a camisa alvinegra. O atacante voltou a balançar a rede na noite desta quinta-feira (14), em Itaquera, e salvou o time da derrota mais uma vez, agora diante do Racing, da Argentina, pela primeira fase da Copa Sul-Americana: 1 a 1.

Os visitantes abriram o placar ainda no primeiro tempo com o ex-vascaíno Andrés Ríos, mas aos 42 minutos da etapa final, o camisa 19 marcou o sexto gol dele no ano – o Timão fez oito no total – e assegurou o empate. Com o resultado, o time de Fábio Carille depende de uma vitória simples fora de casa para avançar – o confronto acontecerá no dia 27.

O jogo

O Corinthians mostrou diante do Racing um resumo dos defeitos apresentados no início deste ano. A defesa é desatenta, o meio tem falhas de posicionamento e não cria e o ataque é dependente de Gustagol. Com todos esses defeitos, enfrentar o líder do Campeonato Argentino se mostrou um desafio muito grande.

O jogo não foi de estudo ou cautela, pelo contrário. As duas equipes propuseram o ataque como se não tivesse uma partida de volta na Argentina. Logo no primeiro minuto o Corinthians já chutou a gol com o seu camisa 19 e pouco tempo depois levou um susto com erro de Cássio depois de uma bola recuada.

Com posturas ousadas, obviamente os times deixaram espaços. Vagner Love perdeu uma chance sozinho com o goleiro aos 15 minutos. O erro custou caro. Aos 22, Andrés Ríos passou por Manoel e bateu cruzado no canto para fazer 1 a 0. A desvantagem fez o Corinthians acelerar o ritmo e ter boas chances para igualar, porém os atacantes falharam.

O Corinthians também demonstrou nervosismo. O time levou dois cartões amarelos ainda no primeiro tempo e mudou a proposta de jogo na etapa final. As substituições do técnico Fábio Carille foram Clayson, Diaz e Pedrinho para tentar apostar na velocidade pelas pontas em vez das tabelas e de um estilo mais paciente.

O Racing se mostrou um time muito maduro e acostumado à pressão. Os argentinos tinham o controle do jogo, ao conseguir levar perigo nos contra-ataques e não se expor na defesa. O Corinthians vivia de bolas paradas em busca das cabeçadas de Gustavol, pois no restante dos momentos não sabia o que fazer para avançar.

De tanto levantar bolas na área, o gol finalmente chegou. Aos 42 minutos da etapa final, já quase no desespero, Sornoza cruzou e Gustavo empatou. O placar de 1 a 1 deixou a torcida corintiana animada por uma virada, mas já era tarde demais. Ter evitado a derrota ficou de bom tamanho pelo futebol apresentado.

Com informações de Agência Estado