Dúvida na defesa e unanimidade no ataque: veja os melhores do Brasileirão segundo a Jovem Pan

  • Por Jovem Pan
  • 03/12/2018 16h51
Palmeiras/ DivulgaçãoDudu, Mayke e Bruno Henrique foram os melhores com sobras nas posições deles

Com o fim do Campeonato Brasileiro, chegou a hora de fazer um balanço e escolher os principais destaques das 38 rodadas. A equipe da Jovem Pan opinou e elegeu uma seleção dos melhores em cada posição. E após 15 votos, surgiu uma curiosidade. Enquanto na defesa existem muitas dúvidas sobre quem foi melhor, o quarteto de ataque é praticamente uma unanimidade.

As dúvidas defensivas começam já no gol. Ao todo 6 goleiros diferentes foram citados. Algo parecido aconteceu na zaga, com 6 zagueiros citados e uma disputa acirrada para definir a dupla principal. Apenas na lateral direita houve mais concordância, com a vitória de Mayke, do Palmeiras. Já na esquerda o vencedor foi eleito por pouco também.

Entre os volantes, Cuéllar e principalmente Bruno Henrique foram vencedores com mais tranquilidade. E o quarteto da frente foi definido com quase unanimidade: Lucas Paquetá, Dudu, Everton e Gabigol foram os melhores jogadores ofensivos do Brasileirão sem dúvidas.

A escalação dos melhores, de acordo com a Jovem Pan, ficou assim: Santos (Atlético-PR); Mayke (Palmeiras), Dedé (Cruzeiro), Pedro Geromel (Grêmio) e Renê (Flamengo); Cuéllar (Flamengo), Bruno Henrique (Palmeiras) e Lucas Paquetá (Flamengo); Everton (Grêmio), Dudu (Palmeiras) e Gabigol (Santos).

Veja abaixo os resultados de cada posição e também os 15 votos da equipe Jovem Pan.

Melhor goleiro

Santos (Atlético-PR): 5 votos
Fábio (Cruzeiro): 4 votos
Everson (Ceará): 2 votos
Weverton (Palmeiras): 2 votos
Júlio César (Fluminense): 1 voto
Marcelo Lomba (Inter): 1 voto

O Furacão saiu da zona de rebaixamento para o 7º lugar da tabela. E com certeza Santos foi um dos principais responsáveis por essa arrancada. Ele chamou atenção pelas ótimas defesas e também pela reposição de bola, inclusive com os pés.

Melhor lateral direito

Mayke (Palmeiras): 11 votos
Emerson (Atlético-MG): 3 votos
Samuel Xavier (Ceará): 1 voto

O palmeirense recuperou o bom futebol sob comando de Felipão. Mostrou evolução na parte defensiva e teve participações importantes no ataque. Com fraca concorrência, merece ser eleito o melhor lateral direito com sobras.

Melhores zagueiros

Dedé (Cruzeiro): 8 votos
Pedro Geromel (Grêmio): 8 votos
Gustavo Gómez (Palmeiras): 6 votos
Victor Cuesta (Inter): 6 votos
Léo Duarte (Flamengo): 1 voto
Arboleda (São Paulo): 1 voto

Depois de tantas dificuldades físicas, Dedé conseguiu provar em 2018 que voltou a ser o grande zagueiro de antes. Ele fez uma grande temporada pelo Cruzeiro e, mesmo com o time mais focado nas Copas Libertadores e do Brasil, conseguiu se destacar no Brasileirão.

Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Geromel é outro que também esteve mais focado nas Copas, mas também foi impecável quando jogou no Brasileirão. A defesa do Grêmio quase foi a melhor da competição, pois levou apenas um gol a mais que o Palmeiras.

Melhor lateral esquerdo

Renê (Flamengo): 5 votos
Dodô (Santos): 4 votos
Renan Lodi (Atlético-PR): 3 votos
Reinaldo (São Paulo): 2 votos
Diogo Barbosa (Palmeiras): 1 voto

A torcida do Flamengo já teve desconfiança sobre o futebol de Renê, mas neste ano ele se superou. Conseguiu ser uma ótima opção no ataque, inclusive com infiltrações pelo meio, e superou bons destaques da posição.

Melhor 1º volante

Cuéllar (Flamengo): 8 votos
Rodrigo Dourado (Inter): 3 votos
Felipe Melo (Palmeiras): 2 votos

O colombiano ficou sobrecarregado frequentemente, porque o time era muito ofensivo, mas deu conta do recado. Com marcação dura e boa saída de bola, conseguiu se destacar na posição. Foi o jogador mais querido pela torcida flamenguista nesse campeonato.

Melhor 2º volante

Bruno Henrique (Palmeiras): 15 votos
Patrick (Inter): 1 voto

O capitão palmeirense é indiscutível na posição. Ele foi impecável na defesa, virou o cérebro do time em algumas partidas e até mostrou faro de artilheiro, com 9 gols marcados na competição.

Melhor meia

Lucas Paquetá (Flamengo): 15 votos
Arrascaeta (Cruzeiro): 2 votos

Na maior parte da competição ele mostrou ser um meio-campista diferenciado, versátil e com muitos recursos. Teve uma queda técnica na reta final, mas a falta de concorrência faz com que ele seja eleito o melhor meia com sobras.

Melhores atacantes

Dudu (Palmeiras): 15 votos
Everton (Grêmio): 15 votos

O camisa 7 do Verdão foi o principal craque do time, pois mostrou poder de decisão com passes e gols. Inclusive ficou na liderança do ranking de jogadores mais decisivos. 

Já o “Cebolinha” do Grêmio mostrou evolução nas finalizações, fez belas jogadas e se tornou o principal jogador do time nessa temporada. Assim como Dudu, é indiscutível entre os melhores atacantes.

Melhor centroavante

Gabigol (Santos): 14 votos

O santista fez 18 gols e terminou o campeonato como principal artilheiro. Após passagem ruim pela Europa, ele fez um ótimo 2º turno do Brasileirão e foi o melhor jogador da posição sem dúvida.

Melhor técnico

Felipão (Palmeiras): 13 votos
Odair Hellmann (Inter): 2 votos

Ele chegou ao Verdão com desconfiança, inclusive de boa parte da torcida alviverde. Mas terminou o campeonato invicto com grandes méritos, por ter mudado o estilo de jogo da equipe e aproveitado muito bem o elenco que tinha nas mãos. Respondeu da melhor forma possível a tantas críticas que surgiram desde o “7 a 1”.

Veja como foram os votos da equipe Jovem Pan:

Allan Brito
Weverton; Mayke, Gustavo Gómez, Victor Cuesta e Renê; Rodrigo Dourado, Bruno Henrique e Lucas Paquetá; Dudu, Everton e Gabigol.
Técnico: Felipão.

André Ranieri
Everson; Mayke, Geromel, Cuesta e Renan Lodi; Cuéllar, Bruno Henrique e Paquetá; Dudu, Everton e Gabigol.
Técnico: Felipão.

Bruno Landi
Júlio César; Mayke, Gustavo Gómez, Victor Cuesta e Reinaldo; Cuéllar, Bruno Henrique e Lucas Paquetá; Dudu, Everton e Gabigol.
Técnico: Felipão.

Bruno Prado
Marcelo Lomba; Mayke, Cuesta, Gómez e Renan Lodi: Cuéllar, Bruno Henrique e Paquetá: Dudu, Everton e Gabigol.
Técnico: Odair Hellmann.

Carlos Manoel
Weverton; Mayke, Geromel, Gustavo Gómez e Renê; Rodrigo Dourado, Bruno Henrique e Lucas Paquetá; Dudu, Everton e Gabigol.
Técnico: Felipão.

Daniel Lian
Fábio; Emerson, Arboleda, Geromel e Diogo Barbosa; Cuéllar, Bruno Henrique e Lucas Paquetá; Everton, Gabigol e Dudu
Técnico: Felipão

Diogo Mesquita
Everson; Mayke, Cuesta, Léo Duarte, Dodô; Rodrigo Dourado, Bruno Henrique e Paquetá; Everton, Dudu e Gabigol.
Técnico: Felipão.

Fausto Favara
Fábio; Emerson, Pedro Geromel, Dedé e Renê; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Paquetá; Dudu, Gabigol e Everton.
Técnico: Felipão.

Flávio Prado
Santos; Mayke, Dedé, Geromel e Reinaldo; Cuéllar, Bruno Henrique e Paquetá; Dudu, Gabigol e Everton.
Técnico: Felipão

Gabriel Dias
Fábio; Samuel Xavier, Geromel, Dedé e Renê; Felipe Melo, Bruno Henrique, Arrascaeta e Paquetá; Dudu e Everton.
Técnico: Odair Hellmann.

José Manoel de Barros
Santos; Mayke, Dedé, Gómez e Dodô; Cuéllar, Bruno Henrique e Paquetá; Dudu, Gabigol e Everton.
Técnico: Felipão.

Marcio Spimpolo
Santos; Mayke, Geromel, Dedé e Renan Lodi; Patrick, Bruno Henrique e Lucas Paquetá; Dudu, Everton e Gabigol.
Técnico: Felipão.

Nilson César
Fábio; Emerson, Pedro Geromel, Dedé e Renê; Cuéllar, Bruno Henrique e Lucas Paquetá; Dudu, Gabigol e Everton.
Técnico: Felipão.

Pedro Marques
Santos; Mayke, Dedé, Cuesta e Dodô; Bruno Henrique, Arrascaeta e Paquetá; Dudu, Everton e Gabigol.
Técnico: Felipão.

Wanderley Nogueira
Santos; Mayke, Dedé, Gómez e Dodô; Cuéllar, Bruno Henrique e Paquetá; Dudu, Gabigol e Everton.
Técnico: Felipão.