Felipe Anderson, Lanzini e Calleri comentam expectativa para Copa América

  • Por Jovem Pan
  • 12/06/2019 16h33 - Atualizado em 17/06/2019 08h59
Divulgação/West Ham

A Copa América terá sua abertura na noite da próxima sexta-feira (14), no duelo entre Brasil x Bolívia, às 21h30, no Morumbi. O principal torneio de seleções do continente vai reunir 12 países – além de todos os sul-americanas, participarão como convidados Catar e Japão.

Mesmo fora da lista de convocados para a disputa da Copa América, o brasileiro Felipe Anderson, do West Ham, e os argentinos Lanzini, também do West Ham, e Calleri, que disputou a última temporada pelo Alavés, da Espanha, falaram sobre a expectativa para a disputa do torneio. A entrevista foi organizada pela patrocinadora das equipes, a Betway.

“Todos estão lutando por um sonho, não apenas os 23 que vão para a Copa América, mas todo o país está te observando, está lutando por você, te passando energia, afirmou Lanzini. “Há grandes jogadores, temos o melhor do mundo, o que é muito importante. Temos que saber aproveitar isso”, completou.

O meia Felipe Anderson lembrou a final da Copa América de 2004, o inesquecível gol de Adriano no último minuto e a vitória nos pênaltis, como seu momento inesquecível do torneio.

“Uma final entre Brasil e Argentina que o Brasil estava perdendo. Eu era muito pequeno, essa é uma lembrança incrível que eu lembro sempre”, afirmou.

Curiosamente, o argentino Calleri lembrou como recordação mais marcante a vitória da seleção brasileira em cima da Argentina por 3 x 0, em 2007, comandada por Dunga.

“No ano de 2007, na final Brasil x Argentina. E bem, não sei o resultado, mas acho que foi 3 x 0. Foi um time Argentino inesquecível, em que se destacaram muitos jogadores, como Riquelme, como Sorín”, lembrou. “Acho que é importante para a Argentina ser campeã para acabar com um longo período sem conquistar o título e acho que essa é uma oportunidade”, completou.

Lanzini, único entre os três que já disputou uma edição de Copa América relatou a frustração de ter perdido uma final do torneio.

“Lembro-me recentemente de uma das finais que legou à Argentina as finais da Copa América que foram as duas que perderam para o Chile. Eu estava em campo. Foi uma tristeza por não conseguir o resultado que queríamos, mas, foi uma boa lembrança ter vivido com meu irmão”, disse.