Bilionário presidente do PSG pode ser punido pela Fifa por irregularidades em transferências de jogadores

  • Por Jovem Pan
  • 15/07/2019 15h41
Christophe Petit Tesson/EFENasser Al-Khelaifi pode sofrer punição

O jornal inglês “The Guardian” divulgou documentos vazados nesta segunda-feira (15) em que apresentam suspeitas que o presidente do PSG, Nasser Al-Khelaif, pode ter cometido inúmeras irregularidades envolvendo transferências de jogadores. O bilionário rival de Neymar ainda é acusado de ter prestado falso testemunho à Justiça francesa.

Segundo o “The Guardian’, Nasser Al-Khelaif enviou uma carta em 2011 a Tamim bin Hamad al-Thani, à época candidato ao cargo de emir do Catar, solicitando pagamento de 2 milhões de euros ao agente do argentino Pastore. Naquele ano, o meia atuava no Palermo, da Itália. No meio de 2011, o PSG contratou Pastore por cerca de 43 milhões de euros. Os documentos ainda acusam o pedido de 200 mil euros como “despesas extras” a empresa do Catar Oryx QSI, que é presidida por seu irmão, Khalid Al-Khelaifi.

O pagamento de um presidente de um clube a um agente de jogador é proibido, segundo o artigo 7 do regulamento da Fifa. “[…] qualquer pagamento por serviços de um intermediários devem ser feitos exclusivamente pelo cliente do intermediário para o intermediário”.

O jornal inglês entrou em contato com a Federação Francesa de Futebol (FFF), que afirmou ter tido o artigo 222-17 do Código Esportivo da entidade violado por essa operação de 2011. A FFF ainda aponta que Nasser Al-Khelaif também prestou informações erradas ao juiz Renaud Van Ruymbeke, que estava investigando esse caso.