CR7 marca três vezes e Juventus elimina Atlético; City passeia e segue na Liga dos Campeões

  • Por Jovem Pan
  • 12/03/2019 19h15
Divulgação UEFACristiano Ronaldo comemora o primeiro gol marcado na vitória da Juventus sobre o Atlético de Madrid

Dia histórico para Cristiano Ronaldo e para o Manchester City. Nesta terça-feira (12), o atacante português desencantou na Liga dos Campeões e foi o grande responsável pela classificação da Juventus sobre o Atlético de Madrid às quartas de final, enquanto o time inglês atropelou o Schalke 04 e também avançou na competição continental.

Provocado pela torcida do Atlético de Madrid na ida, quando os espanhóis venceram por 2 a 0, Cristiano Ronaldo deu a resposta na hora certo. Dono de cinco títulos da Liga dos Campeões, o português mostrou por que é um dos maiores jogadores da história. Com mais uma atuação memorável, ele marcou os três gols da vitória da Juventus.

Com a necessidade de marcar gols, os italianos tiveram um início avassalador e chegaram a marcar logo aos três minutos com Cristiano Ronaldo, mas a arbitragem assinalou falta do português sobre o goleiro Oblak. Na segunda oportunidade, porém, CR7 aproveitou o cruzamento de Bernardeschi e a desatenção de Juanfran para cabecear para a rede.

A etapa final trouxe o mesmo cenário de completo domínio territorial da Juventus, que seguiu sufocando o Atlético, sempre tentando pelo alto. E não demorou para sair o segundo gol. Aos três minutos, Cancelo cruzou da direita e Cristiano Ronaldo cabeceou firme. Oblak fez grande defesa, mas a tecnologia na linha de gol alertou que a bola havia entrado.

E como não poderia ser diferente, a classificação só podia sair dos pés de Cristiano Ronaldo, e foi o que aconteceu. Aos 39 minutos, Bernardeschi fez fila pela esquerda, invadiu a área e, empurrado por Correa, caiu. O árbitro considerou pênalti, que o português cobrou no canto direito de Oblak para selar o resultado.

Massacre inglês

O Manchester City obteve a vaga nas quartas de final da Liga dos Campeões com uma goleada contundente sobre o Schalke 04, por 7 a 0, no Etihad Stadium, em Manchester. Como venceu por 3 a 2 na ida, o time inglês fechou o confronto com o placar agregado de 10 a 2.

O duelo desta terça teve dois momentos bem distintos. Até os 30 minutos, o Schalke fez u jogo equilibrado. Precisando reverter a derrota sofrida em casa, o time alemão tentou atacar em busca da vitória que poderia garantir a classificação.

Mas, aos 35 minutos, o juiz francês Clement Turpin marcou pênalti de Bruma em Bernardo Silva, com a ajuda do VAR (árbitro de vídeo). Agüero, de cavadinha, bateu com categoria e abriu o placar para a equipe inglesa.

Com a desvantagem, o Schalke se perdeu em campo e virou um alvo fácil. Mais três minutos e Agüero fez o segundo, ao receber um belo passe de calcanhar de Sterling. Ainda havia tempo no primeiro tempo para mais um gol do Manchester, marcado por Sané.

O segundo tempo foi de apenas de um time. Desmotivado, o Schalke limitou-se a se defender e sofreu com o forte e rápido ataque do City. Sané quase fez mais um logo aos cinco minutos. Em seguida, o atacante alemão teve um gol anulado pelo VAR.

Aos 11 minutos, mais uma vez, Sané surgiu com perigo pela esquerda e fez grande assistência para Sterling, que mostrou grande habilidade para marcar o quarto gol. O juiz chegou a pedir a opinião do VAR para ratificar a marcação.

Gabriel Jesus substituiu Agüero aos 18 minutos, mas foi Sané que continuou somando grandes jogadas na partida. Em mais uma bela jogada, o canhoto serviu Bernardo Silva para fazer o quinto gol do jogo.

Incansável, Sané não tinha dó do Schalke e aos 33 fez mais uma assistência desta vez para Foden, que ainda teve a frieza de driblar o goleiro antes de finalizar. Em ritmo de treino, Gabriel Jesus também aproveitou para deixar sua marca, aos 39 minutos.

Com informações de Agência Estado