“Morumbi não tem condição de abrir Jogos do Interior, quanto mais Copa”, provoca Citadini 

  • Por Jovem Pan
  • 23/01/2018 16h05
Jhonny Drum/Jovem PanO polêmico Antonio Roque Citadini participou do Esporte em Discussão desta terça-feira. Ele é um dos cinco candidatos à presidência do Corinthians

Principal candidato da oposição à presidência do Corinthians, Antonio Roque Citadini não perde a oportunidade de provocar o São Paulo. Em entrevista exclusiva ao Esporte em Discussão desta terça-feira, na Rádio Jovem Pan, o ex-vice-presidente de futebol alvinegro polemizou e disse que o Morumbi “não tem nem condição de abrir os Jogos Abertos do Interior, quanto mais Copa do Mundo”.  

A afirmação foi feita no momento em que Citadini falava sobre as dívidas da Arena Corinthians. Ele lembrou que o estádio sediou a abertura da Copa do Mundo de 2014 e negou que o Morumbi tenha sido cogitado para receber a primeira partida do Mundial. 

“O que houve na construção do estádio (de Itaquera) foi empolgação demais, porque, em determinado momento, a cidade de São Paulo estava fora da Copa do Mundo, não tinha estádio para fazer Copa do Mundo. Essa história de que iria fazer no Morumbi é lorota… O Morumbi não tem condição de abrir Jogos Abertos do Interior, quanto mais Copa do Mundo”, provocou.  

“Não estou ofendendo nada e nem ninguém, mas (o Morumbi) não tem (condição de abrir uma Copa do Mundo). Pensando bem, eu retiro (o termo) ‘Jogos Abertos do Interior’, mas digo que o Morumbi não tem condição de sediar a abertura de uma competição menor, quanto mais de uma maior…”. 

Para Citadini, o custo elevado da Arena Corinthians se explica pelo contexto em que ela foi construída. “Quando se viu que o Morumbi não conseguiria abrir a Copa do Mundo, ficou o seguinte impasse: ou a cidade de São Paulo faz um outro estádio, ou fica fora da Copa do Mundo. Mas não dava para ficar fora da Copa, porque é a principal cidade do País. Foi nessa empolgação que o estádio foi construído. E essa empolgação custa dinheiro”. 

O oposicionista, no entanto, acha que a dívida do estádio é “pagável” – hoje em dia, ela supera R$ 1 bilhão. “Vai pagar o estádio? Vai. A Arena é um belo estádio, um grande estádio, o melhor que tem. Dá um orgulho grande o Corinthians ter aberto a Copa do Mundo. Agora… É um negócio que precisa ser resolvido. Eu acho que o Corinthians tem de fazer o que não fez nos últimos quatro anos. Falta o Corinthians dar um passo à frente para resolver esses problemas, seja com a Odebrecht, seja com a Caixa, seja com quem for… Mas o estádio será pago, sim”, finalizou. 

Polêmico por natureza, Antonio Roque Citadini, 67 anos, pertence à chapa “Corinthians + Forte”. Vice-presidente de futebol entre 2001 e 2004, ele se consolidou como o nome mais forte da oposição alvinegra nos últimos anos. Obteve 43% dos votos nas eleições presidenciais de 2015, mas foi derrotado por Roberto de Andrade. Agora, tenta se eleger contra Andrés Sanchez, Felipe Ezabella, Paulo Garcia e Romeu Tuma Júnior. O pleito está marcado para o dia 3 de fevereiro.