Os quatro times paulistas vão buscar reforços para o ataque

  • Por Jovem Pan
  • 06/12/2018 08h38
César Greco/Agência Palmeiras/DivulgaçãoKeno pode ser o substituto do lesionado Willian no Palmeiras

A busca por reforços está intensa a partir desta semana e tem uma coincidência: os 4 times grandes de São Paulo vão buscar jogadores para a mesma posição. Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo querem contratar atacantes o mais rápido possível.

O problema do Corinthians não é novo. Depois da saída de Jô, o Timão passou o ano de 2017 inteiro procurando um centroavante. Kazim, Roger e Jonathas fracassaram em 2018. Agora o time já fez novas contratações para 2019, como Gustavo Mosquito e André Luís, mas tem interesse declarado em um centroavante de peso, mais famoso e experiente. O nome da vez é Diego Tardelli, que se despediu do Shandong Luneng nesta quarta-feira (6).

O problema do Palmeiras também é antigo. Depois que Keno saiu, no meio de 2018, o time não contratou outro jogador veloz e habilidoso para atuar pelas pontas. Isso foi problema perceptível durante a temporada, mas Felipão conseguiu resolver com improvisações. Porém, a possível saída de Dudu e a lesão grave de Willian já fizeram o técnico pedir um atacante rápido para 2019. Inclusive o retorno de Keno, que está no Pyramids-EGI, já foi especulado.

Já o Santos precisará buscar centroavantes. Artilheiro, Gabigol já confirmou que sairá do clube. O único substituto dele, Felippe Cardoso, jogou pouco até agora. Novo dirigente do Peixe, Renato já avisou que pretende contratar alguém do nível de Gabigol para o ataque.

O São Paulo terminou a temporada com um grande problema ofensivo. Foi o 5º pior ataque do 2º turno, com apenas 14 gols em 19 jogos. As lesões de Rojas e Everton mostraram que faltam opções para o banco de reservas tricolor. Então é provável que a diretoria contrate um ponta e um centroavante para 2019.

Esse cenário pode criar disputas entre os times paulistas por alguns jogadores, como já aconteceu em um passado recente. Por enquanto não há nenhum alvo em comum. Mas é só o começo. O mercado da bola ainda ficará mais agitado, principalmente na busca por atacantes em São Paulo.