Alex acredita que juízes da Libertadores prejudicam times brasileiros de propósito

  • Por Allan Brito/ Jovem Pan
  • 21/09/2018 16h20
Cruzeiro/ DivulgaçãoAlex não acredita que Cruzeiro vai conseguir reverter suspensão de Dedé

O ex-jogador Alex é ídolo de dois clubes que se sentem muito prejudicados pela arbitragem na Copa Libertadores, Palmeiras e Cruzeiro. O Verdão tem uma reclamação marcante de 2001. Já o caso do time celeste aconteceu na última quarta-feira (19), quando o zagueiro Dedé foi expulso após trombar acidentalmente com o goleiro do Boca Juniors. Isso revoltou Alex. que chegou a dizer, em entrevista exclusiva à Jovem Pan, que os árbitros estrangeiros prejudicam os brasileiros de propósito.

Alex contou que estava vendo o jogo entre Cruzeiro e Boca Juniors ao vivo e o principal sentimento dele foi de surpresa inicialmente, principalmente porque o juiz teve o auxílio do sistema de vídeo arbitragem (VAR): “eu achava que ele ia ver o lance na TV e deixaria como lance normal. Para minha surpresa veio o vermelho”.

A diretoria do Cruzeiro ficou revoltada e chegou a falar em “roubo” após o jogo. E Alex apoia esse tipo de afirmação: “com tudo que a gente tem visto, imaginar que não possa falar de roubo seria ingênuo. Não vou falar em ‘roubo’, mas falo em ‘peso’. Na dúvida, é sempre contra nós. Mesmo com VAR, fica na mão da arbitragem. E nunca dão para gente. Na dúvida entre Brasil e Argentina, sempre é Argentina”.

Alex não acredita sequer que o Cruzeiro vai conseguir reverter a suspensão automática de Dedé. O clube tem buscado isso junto à Conmebol, para que o zagueiro possa participar do jogo de volta. “Seria uma surpresa para mim. Não acredito, até porque o juiz deu um entrevista e disse que confirmava a expulsão. Mesmo após rever o lance ele tinha convicção”.

É fácil entender a revolta de Alex com a Conmebol. Na semifinal da Copa Libertadores de 2001, entre Palmeiras Boca Juniors, ele foi muito prejudicado pela arbitragem. O paraguaio Ubaldo Aquino cometeu erros claríssimos, como a marcação de um pênalti inexistente para o Boca. Alex disse que a lembrança mais marcante para ele foi um pênalti não dado em Fernando, que na época poderia até render expulsão do goleiro do Boca.

Alex indicou que aqueles erros foram de propósito: “aquilo nem foi erro, porque erro para mim é dentro do jogo. A gente teve um pênalti a favor naquele jogo, no Fernando, que foi absurdo, qualquer um daria. Mas ele mandou seguir. Foi assustador. Nunca vi um jogo como aquele”.