Defesa do Palmeiras passa a falhar em momentos decisivos e precisa de mudanças

  • Por Jovem Pan
  • 01/11/2018 08h50
Palmeiras/DivulgaçãoFelipe Melo falhou em 3 dos 4 gols sofridos pelo Palmeiras contra o Boca Juniors

Desde que Felipão assumiu o comando do Palmeiras, ficou evidente que a defesa era o ponto forte do time. Com muita intensidade e organização, a equipe acumulou 15 jogos sem sofrer gol. Mas tudo mudou recentemente. A equipe foi vazada em 4 jogos seguidos e mostrou defeitos no sistema defensivo. Isso causou a eliminação na Copa Libertadores e, se não aconteceram mudanças, pode atrapalhar o time no Campeonato Brasileiro.

O Palmeiras foi vazado seguidamente nos 2 jogos contra o Boca e também nas partidas contra Ceará e Flamengo. Diante do time argentino, foram 4 gols sofridos. E é possível achar explicações para isso: a dupla Luan e Gustavo Gómez passou a ser titular em partidas da Copa Libertadores nos lugares de Antônio Carlos e Edu Dracena, que jogaram as partidas do Brasileirão.

E o desempenho de Luan contra o Boca foi ruim nos 2 jogos. Em Buenos Aires, ele foi driblado facilmente por Benedetto no lance do segundo gol. Em São Paulo, ele deu liberdade para Ábila entrar sozinho na área e finalizar para o primeiro gol. Por tudo isso é possível que a zaga do Palmeiras passe a ser formada por Gómez e um jogador da outra dupla – provavelmente Edu Dracena, mas Antônio Carlos tem chances por ser o mais rápidos dos 3.

Mas não basta mudar só a zaga. O sistema defensivo é composto por outros fatores. Felipão precisa pensar na proteção da zaga, pois Felipe Melo também falhou nos gols do Boca. Ele não alcançou a bola no gol de cabeça de Benedetto em Buenos Aires. Em São Paulo, ficou parado após o cruzamento que resultou no primeiro gol. E foi driblado facilmente por Benedetto antes de sair o segundo gol, que decretou a eliminação do Palmeiras. Thiago Santos costuma ser o substituto natural de Felipe Melo e pode receber mais chances a partir de agora.

As laterais também podem ser motivos para preocupação, principalmente na esquerda. O ponto forte de Diogo Barbosa é o ataque, mas ele não tem produzido nada além do básico. O reserva Victor Luís é melhor defensivamente e pode dar mais segurança defensiva pelo menos. Na direita, Mayke continuará como titular, pois Marcos Rocha ainda está se recuperando de lesão.

Agora o Palmeiras está focado só no Campeonato Brasileiro, mas não pode se contentar com a mesma base do time que atuou até agora. É preciso fazer mudanças para que o ano não termine com mais uma decepção.