No Pacaembu, Palmeiras bate Bragantino e se recupera no Campeonato Paulista

  • Por Jovem Pan
  • 11/02/2019 22h00
ALE VIANNA/ELEVEN/ESTADÃO CONTEÚDODudu abre o placar para o Palmeiras e comemora o gol com Gustavo Scarpa e Felipe Pires

Nove dias após ser derrotado pelo Corinthians, o Palmeiras voltou à campo nesta segunda-feira (11). E o time de Luiz Felipe Scolari não decepcionou sua torcida. Jogando no estádio do Pacaembu, o Verdão teve uma boa atuação e venceu com tranquilidade a equipe do Bragantino por 2 a 0, no encerramento da sexta rodada do Campeonato Paulista.

Com o resultado, o Palmeiras reassumiu a liderança do grupo B, chegando aos 13 pontos – dois a mais que o Novorizontino, que neste domingo (10) bateu o Corinthians. Já o Bragantino caiu para a segunda posição do grupo C, se mantendo com oito pontos, mesmo número da agora líder Ferroviária, que leva vantagem no saldo de gols.

Na próxima rodada da competição estadual, o time de Luiz Felipe Scolari visita a Ferroviária, na Fonte Luminosa, em Araraquara. O duelo será disputado no domingo (17), às 17 horas. Um dia antes, no sábado (16), às 16h30min, o Bragantino visita o São Caetano, no estádio Anacleto Campanella, no ABC Paulista.

O jogo

Com a última semana livre de compromissos oficiais, o Palmeiras teve tempo para treinar e conseguiu mostrar um futebol melhor. O time conseguiu fazer tabelas rápidas, tinha Dudu e Gustavo Scarpa muito ativos em campo e conseguiu encurrlar o adversário. Não foi necessário muito esforço para abrir 2 a 0 no primeiro tempo. O Bragantino só chutou uma vez com perigo na etapa inicial.

O primeiro gol foi de dar orgulho ao técnico Luiz Felipe Scolari. O time saiu do campo de defesa com uma rápida troca de passes, até a bola chegar para Dudu bater cruzado, aos 7 minutos. O mesmo atacante também iniciou a jogada do segundo gol, ao tocar para Borja. O colombiano foi derrubado pelo goleiro e no pênalti, Scarpa converteu para ampliar, aos 28.

O estilo de jogo fluído continou no segundo tempo. Com Scarpa centralizado como armador, o time tinha movimentação e repertório de ataques, ora pela ponta ora de fora da área. Borja chegou a perder uma chance incrível, assim como Moisés quase fez um golaço. O desperdício de oportunidades não chegou a preocupar, pois o Bragantino incomodava mais pelo excesso de faltas do que pelas jogadas criadas.

A vantagem poderia ter sido bem maior. A facilidade em trocar passes, envolver a defesa e se aproximar do gol fez o Palmeiras prender demais a bola em alguns momentos. Por puro preciosismo o time não fez outros. Mas pouco importou. O que valeu foi ganhar, convencer e mostrar que a derrota no clássico ficou no passado.

Confira a narração dos gols:


Com informações de Agência Estado