STJD absolve Felipão e treinador comanda Palmeiras na ‘final’ contra o Flamengo

  • Por Jovem Pan
  • 26/10/2018 14h30
César Greco/Agência Palmeiras/DivulgaçãoFelipão está livre para comandar o Palmeiras neste sábado contra o Flamengo

O técnico Luiz Felipe Scolari foi julgado nesta sexta-feira (26) no Superior Tribunal de Justiça Desportiva pelas declarações polêmicas dadas após eliminação da Copa do Brasil e acabou sendo absolvido. Dessa maneira, está livre para dirigir o Palmeiras neste sábado, às 19h30min, na partida contra o Flamengo, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Alexandre Mattos, diretor de futebol do clube, também foi julgado por declarações após confronto contra o Cruzeiro pela competição nacional de pontos corridos, disputada poucos dias após a eliminação alviverde na Copa do Brasil, e foi advertido pela entidade.

O treinador foi absolvido por unanimidade após ter sido acusado pela promotoria do STJD de infringir o artigo 243 (incitar publicamente o ódio ou a violência) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), enquanto Mattos foi julgado pelo mesmo motivo e também pelo artigo 258 (assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva). No artigo 243, a pena prevista é de multa de R$ 100 a 100 mil e suspensão de 360 a 720 dias.

A denúncia contra Felipão foi aceita pelo STJD por ter dito aos cruzeirenses, após confusão entre jogadores no gramado do Mineirão, a seguinte frase: “Vocês vão lá domingo. Podem esperar sentadinhos”, o que poderia incitar um novo conflito entre as equipes. No julgamento desta sexta, o treinador explicou o contexto da frase que gerou a denúncia.

“Quando trabalhei fora do Brasil, especialmente na Inglaterra, o costume era presentear o técnico adversário com vinho e camisetas do clube. Eu costumo fazer isso aqui no Brasil… Quando empatamos e nos desclassificamos na Copa do Brasil ocorreram algumas brincadeiras. Não controlamos isso. Em São Paulo, os tratamos muito bem. É assim que sempre fazemos. A frase foi nesse sentido: fazer o que não fizeram com a gente”, assegurou.

Mattos, por sua vez, foi julgado por ter ido até a entrada dos vestiários do Pacaembu para cobrar a arbitragem do jogo em que o Palmeiras venceu o Cruzeiro por 3 a 1, mas sofreu um gol após o juiz paraense Dewson Fernando Freitas assinalar uma penalidade inexistente no primeiro tempo do duelo. O zagueiro paraguaio Gustavo Gómez tocou o braço na bola, mas fora da área.

A cobrança do dirigente ocorreu já no intervalo da partida, quando o dirigente andou até a beira do túnel para questionar o erro dos árbitros, que saíram de campo escoltados por policiais.

Com informações de Agência Estado