Tchê Tchê, ex-Palmeiras, supera 3 dificuldades e vê início positivo na Ucrânia

  • Por Allan Brito/ Jovem Pan
  • 05/12/2018 12h11
Dínamo de Kiev/ DivulgaçãoTchê Tchê deu assistência decisiva na Liga Europa

Depois de ser campeão brasileiro e se destacar no Palmeiras, o volante Tchê Tchê foi contratado pelo Dínamo de Kiev, da Ucrânia, em junho deste ano. Seis meses depois da transferência, ele faz um balanço positivo de tudo que viveu por lá. Mas admite que passou por três dificuldades.

O primeiro problema foi se adaptar ao futebol ucraniano. Ele viu diferenças físicas, táticas e até na rotina dos treinamentos: “Todo começo é difícil fora do seu país de origem, mas vim preparado para enfrentar qualquer tipo de situação. É um futebol diferente, muito mais físico e tático, e os treinos são sempre muito intensos”, contou Tchê Tchê, em entrevista à Jovem Pan.

E as dificuldades não ficam só em campo. Tchê Tchê também teve dificuldades com a temperatura e a comunicação na Ucrânia: “O que vi de pior foi o frio. E a dificuldade inicial com o idioma também, mas estou fazendo aulas para aprender e me adaptar mais”, afirmou ele, que elogia o povo ucraniano: “Fiquei surpreso pela qualidade de vida e pelo respeito com o qual somos tratados aqui”.

Apesar de todas dificuldades, Tchê Tchê tem conquistado espaço aos poucos. Não é titular absoluto, mas joga com frequência. Até agora disputou 15 partidas oficiais ao todo, sendo 9 como titular. O melhor momento individual dele foi uma assistência na vitória contra o Rennes-FRA, pela Liga Europa.

O Dínamo de Kiev disputou 30 jogos oficiais na temporada, foi campeão da Supercopa da Ucrânia e já garantiu vaga na próxima fase da Liga Europa, com uma rodada de antecedência. No Campeonato Ucraniano está em 3º lugar, 7 pontos atrás do líder Shakhtar Donetsk.

Tchê Tchê está satisfeito com esses resultados e desempenhos: “O balanço é positivo. Graças a Deus, já pude conquistar um título aqui, jogar Liga dos Campeões, Liga Europa… E me sinto cada vez mais adaptado. É uma experiência nova, com uma cultura diferente, mas que tem sido muito boa para mim e para minha família”.

Mesmo sem Tchê Tchê, o Palmeiras conseguiu ser campeão brasileiro de 2018. E o volante comemorou a conquista: “Assisti a alguns jogos. Fica complicado pela questão do fuso horário, mas quando deu, acompanhei. Fiquei muito feliz por todos os ex-companheiros e falei com alguns para parabenizar”.