Não foi só o Santos: polêmicas recentes reforçam ideia de que Conmebol persegue brasileiros

  • Por Jovem Pan
  • 28/08/2018 13h11
EFETorcida do Palmeiras quase foi agredida e recebeu punição pior após jogo contra Peñarol

Ao longo dos anos, sempre existiu a ideia de que a Conmebol persegue times brasileiros na Copa Libertadores. E o problema nem é só a arbitragem. As decisões nos tribunais também reforçam esta teoria.

A punição aplicada ao Santos nesta terça-feira (28) resgatou tal ideia, afinal um empate foi transformado em derrota por 3 a 0. E não é só isso: nos últimos anos aconteceram outros problemas parecidos que revoltaram brasileiros.

Corinthians

A impunidade é o principal motivo de críticas dos times brasileiros. Em 2015, por exemplo, um jogador do Danubio, do Uruguai, chegou a cometer um ato de racismo contra Elias, do Corinthians, mas nada foi feito. O presidente do clube chegou a admitir que a injúria aconteceu, mas argumentou que se tratava de algo cultural. E nada foi feito, como já aconteceu em outros casos anteriores de racismo

Chapecoense

Em 2017 a Chapecoense passou por algo parecido com tudo que o Santos tem vivido. O time catarinense também foi punido por escalação irregular de um jogador, no caso Luiz Otávio. A diferença é que a Chape chegou a ser avisada do problema minutos antes da partida acontecer. Ele atuou mesmo assim, inclusive fez um gol, e depois a equipe perdeu os pontos do jogo contra o Lanús, o que fez toda diferença para a Chape ser eliminada.

Palmeiras

Também em 2017, o Palmeiras teve um problema com outro time uruguaio, o Peñarol. Depois de vencer uma partida fora de casa, os jogadores do Verdão foram perseguido pelos atletas adversários em campo. A confusão se estendeu às arquibancadas, pois torcedores do Peñarol tentaram invadir o setor destinado a palmeirenses.

E apesar de toda confusão ter sido iniciada pelos uruguaios, o Palmeiras recebeu as piores punições: Felipe Melo ficou suspenso por 3 jogos, já que acertou um soco em Matías Mier, e a torcida foi excluída de 3 partidas como visitante. Já o Peñarol só perdeu mando por um jogo, logo uma partida em que já estava eliminado.

Grêmio

Na final da Copa Libertadores de 2017, o Grêmio se sentiu prejudicado pela arbitragem do jogo de ida, contra o Lanús. Posteriormente, o clube gaúcho apresentou um dossiê com reclamações diversas sobre juízes. E mesmo assim a Conmebol prejudicou ainda mais os gremistas, pois aplicou uma multa de R$ 370 mil em janeiro de 2018.

Santos

O Peixe reclama da punição por dois motivos principais. Primeiro porque alega ter consultado o sistema Comet, afim de verificar se Carlos Sánchez estava irregular, mas não constava nada. E além disso, a Conmebol não puniu o River Plate, que escalou um jogador irregular, Bruno Zuculini, em 7 partidas da mesma edição da Libertadores. No máximo haverá uma punição financeira para os “Millonarios”. A entidade alegou que pode fazer isso porque nenhum clube reclamou da escalação irregular antes dela mesma perceber o problema.