Ricardo Rocha defende Raí, mas admite que Nenê foi ‘mimado’ no São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 06/12/2018 20h45
Érico Leonan / SPFCRicardo Rocha deixou o São Paulo e vai assessorar o Criciúma a partir da próxima temporada

Três dias após deixar o cargo de coordenador de futebol do São Paulo, Ricardo Rocha avaliou sua passagem pelo clube do Morumbi e comentou momentos conturbados que enfrentou durante a temporada, como a demissão de Diego Aguirre a cinco rodadas do fim do Campeonato Brasileiro e a insatisfação de Nenê quando deixou o time titular para ir para a reserva.

Segundo o ex-jogador, que nesta quarta-feira (5) assumiu o compromisso para assessorar o Criciúma, o camisa 10 Tricolor errou ao externar a sua insatisfação quando não foi escalado ou saía no decorrer das partidas. “Houve algumas insatisfações. Vimos uma. Nenê”, disse em entrevista ao SporTV. Questionado se Nenê havia sido “mimado”, ele respondeu: “Foi, foi, sim”.

Em relação a demissão do técnico Aguirre, Ricardo Rocha confirmou que não participou da reunião na qual se decidiu pela saída do uruguaio, desligado do clube em 11 de novembro. “Faltavam cinco rodadas, e eu falei isso para o Raí e algumas pessoas. Se eu estivesse na reunião, eu tentaria que não derrubassem o Aguirre”, afirmou.

O ex-jogador defendia a permanência de Aguirre, mas garantiu apoiar o trabalho de Raí como diretor de futebol. “Não quer dizer que eu não queria o (André) Jardine. Acho que capacidade ele tem, poderia assumir depois. Se eu estivesse nessa reunião, deixaria (o Aguirre) os cinco jogos. Depois, o Raí foi massacrado”, emendou.

“Poderia ter esperado. Essa crítica era uma coisa que a gente não queria. A gente tentou manter Dorival (Júnior), não deu, ele também tinha problemas particulares. Acontece que o Aguirre foi muito bem. Não precisava ter esse tipo de problema. A gente ia ter a crise, aumentamos essa crise. E vou dizer: estou com Raí para o que der e vier, todas as definições”, concluiu.

Com informações de Estadão Conteúdo