São Paulo e Flamengo empatam no Morumbi e se complicam na briga pelo título do Brasileirão

  • Por Jovem Pan
  • 04/11/2018 19h00
RODRIGO GAZZANEL/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDODiego Souza tenta, mas não alcança a bola no ataque do São Paulo sobre o Flamengo

São Paulo e Flamengo fizeram um duelo movimentado na tarde deste domingo (4), no estádio do Morumbi, mas o resultado final não agradou ninguém. O empate em 2 a 2 deixou as duas equipes longe do líder do Palmeiras e o sonho de conquistar o título do Campeonato Brasileiro ficou ainda mais remoto.

O Flamengo permanece na segunda posição, agora com 60 pontos, seis a menos que o Verdão, que na 32ª rodada da competição nacional de pontos corridos bateu o Santos. Já o São Paulo segue em quarto lugar, com 57 pontos, e vê agora a posição no G4 ameaçada com a aproximação do Grêmio, que neste sábado (3) venceu o Atlético-MG, e chegou aos 55.

O São Paulo esteve à frente do placar por duas vezes, com Diego Souza na primeira etapa e o garoto Helinho no segundo tempo. Mas, a defesa voltou a falhar e o Tricolor permitiu que o Flamengo buscasse o empate em duas oportunidades, primeiro com o colombiano Uribe e depois com o lateral Rodinei.

Os times voltam a campo pelo Campeonato Brasileiro no próximo sábado (10). E ambos têm clássicos na 33ª rodada. O São Paulo visita o Corinthians, em Itaquera, às 17 horas, enquanto o Flamengo pega o Botafogo, no estádio Nilton Santos, às 19 horas. Compromissos difíceis, que podem sepultar de vez o sonho de conquistar o título nacional.

O jogo

As escalações do início do confronto deram o tom dos momentos de cada equipe no campeonato. Vindo de cinco jogos sem perder, o Flamengo do técnico Dorival Júnior manteve o que tem dado certo, com Uribe fixado como centroavante e Everton Ribeiro, Lucas Paquetá e Vitinho na trinca ofensiva.

O São Paulo do uruguaio Diego Aguirre, por outro lado, até pelos muitos desfalques (Jean, Hudson, Everton, Rojas e Everton Felipe), precisou mudar. A principal alteração foi tática, adotando um esquema com três zagueiros – Arboleda, Bruno Alves e Anderson Martins. Jucilei voltou ao time, compondo um setor mais robusto na marcação ao lado de Luan e Liziero. Diego Souza e Gonzalo Carneiro foram escalados no ataque.

Nesta configuração, cabia ao Flamengo tentar pressionar, dando espaço para os contra-ataques. E foi no primeiro melhor costurado pelos donos da casa que saiu o gol inaugural do jogo, aos 7 minutos. Gonzalo Carneiro recebeu na direita e chutou cruzado para o meio da área. Liziero apenas ajeitou e Diego Souza encheu o pé. Só que mal deu tempo de a torcida tricolor comemorar. Aos 9, Renê cruzou no meio da área para Uribe, que ganhou de Bruno Alves de cabeça e deixou tudo igual.

Passado o início eletrizante, o jogo entrou de novo no panorama anterior ao dos gols: Flamengo com a posse de bola a maior parte do tempo, São Paulo tentando aproveitar algum outro contragolpe, com muita ligação direta até Gonzalo Carneiro, que utilizou a força física para levar vantagem sobre a marcação. Mas faltava criação no meio de campo. Os visitantes tiveram grande chance de virar, mas Sidão evitou gol de Renê com uma defesa à queima-roupa.

Vendo que o esquema com três zagueiros não funcionou e deixou o time sem ligação com o ataque, Aguirre promoveu já na volta do intervalo a estreia do atacante Helinho, de apenas 18 anos, criado na base do clube. Ele entrou no lugar de Anderson Martins Assim, o São Paulo voltou ao seu esquema tradicional, com dois jogadores abertos pelas pontas na frente: Helinho na direita e Gonzalo Carneiro na esquerda. Diego Souza foi posicionado centralizado.

E levou cinco minutos para o garoto provar que tem estrela. Na primeira bola que recebeu na direita, Helinho cortou para dentro e soltou uma bomba no ângulo direito do goleiro César. Um golaço de cartão de visita: 2 a 1.

Dorival Júnior tentou arrumar o Flamengo, que voltou pior para a etapa final. Tirou Cuellar e Everton Ribeiro para colocar Diego e Geuvânio, respectivamente. Mas foi uma terceira substituição dele que definiria o placar no Morumbi. Aos 31 minutos, o treinador trocou Pará por Rodinei. Coincidentemente, assim como no desfecho da alteração são-paulina, levou cinco minutos para o novo elemento em campo participar de forma decisiva. Completando cruzamento de Vitinho, chutou de pé direito e estufou as redes de Sidão.

Ouça a narração dos gols da partida: