Sem gols, sem vitória: jejum de Pratto é reflexo de má fase do São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 11/07/2017 10h00 - Atualizado em 10/07/2017 19h29
No clássico contra o Santos, Lucas Pratto mandou na trave a chance de encerrar o jejum de gols pelo São Paulo

Desmanche do elenco, falhas constantes da defesa, reforços sem expressão e qualidade, troca de treinador, crise financeira e administrativa. Não faltam motivos para explicar a má fase do São Paulo em 2017. E entre os diversos problemas, um vem incomodando parte da torcida ultimamente: o fraco desempenho do ataque, em especial de Lucas Pratto.

O argentino de 29 anos foi contratado em fevereiro deste ano para ser a referência no setor ofensivo do Tricolor, mas apesar do bom início, o atacante não vem correspondendo como esperado. O camisa 14 está há sete jogos sem balançar a rede adversária, amargando o maior jejum desde quando chegou ao Morumbi.

Coincidentemente, nas sete partidas em que o atacante não marcou, o São Paulo não conseguiu sair de campo como vencedor. Foram cinco derrotas e dois empates neste período de seca de gols e vitórias, resultados que levaram o time para a zona do rebaixamento da competição nacional, na penúltima posição.

A última vez que Lucas Pratto deixou sua marca pelo Tricolor foi no triunfo sobre o Vitória, por 2 a 0, no dia 8 de junho, pela quinta rodada. Antes disso, o argentino havia marcado outras duas vezes no Brasileirão. O primeiro contra o Avaí, na rodada 2, e o segundo diante do Palmeiras, na rodada 3. Em ambos os duelos, o Tricolor venceu pelo placar de 2 a 0.

Neste domingo (9), camisa 14 esteve próximo de pôr fim ao jejum de gols, ao sofrer pênalti no segundo tempo do clássico entre Santos e São Paulo. Porém, o argentino mandou a cobrança na trave, desperdiçando a chance de balançar a rede e do Tricolor reagir na partida quando o placar ainda estava 3 a 0 para o adversário – no final o Peixe venceu por 3 a 2.

É preciso mudar

Nesta segunda-feira (10), o São Paulo apresentou seu novo comandante. Dorival Júnior tem a missão de tirar o São Paulo da zona de rebaixamento do Brasileirão e também recuperar o principal atacante do Tricolor. Mas, o que fazer para que Lucas Pratto volte a balançar as redes adversárias e o São Paulo reencontre o caminho das vitórias?

Contratado junto ao Atlético-MG, Lucas Pratto custou cerca de R$ 20 milhões aos cofres são-paulino e seus vencimentos são estimados em R$ 400 mil. O tamanho do investimento foi proporcional a expectativa depositada no atacante argentino. E ele sabe disso. Tanto é que parece entrar em campo sempre com o valor de sua contratação nas costas – corre, luta, divide.

Dorival Júnior precisa tirar esse peso de Lucas Pratto e dividir as responsabilidades com outros jogadores do elenco. Além disso, terá que corrigir um problema grave no atual time do São Paulo: a falta de criatividade no meio de campo, que impede a bola de chegar com qualidade nos pés do atacante.

É cada vez mais comum vê-lo sair da área para ajudar na construção das jogadas. No entanto, a falta de mobilidade acaba facilitando os desarmes dos adversários. A função do camisa 14 é marcar gols. Para isso é preciso receber as bolas em boas condições. De preferência na área. Assim como era no Atlético-MG, quando se destacou e chamou a atenção do Tricolor.