Galo sofre gol no fim, mas vira turno na liderança do grupo 4 da Libertadores

  • Por Agência EFE
  • 13/03/2014 00h44

O Atlético-MG acabou empatando com o Nacional-PARAtlético-MG e Nacional-PAR se enfrentam em Assunção

Pela primeira vez nesta edição da Taça Libertadores, o Atlético-MG deixou o campo sem sentir o sabor da vitória ao empatar com o Nacional-PAR por 2 a 2 nesta quarta-feira no estádio Antonio Aranda, em Ciudad del Este, mas ainda vive situação tranquila no grupo 4 do torneio.

O atual campeão da América saiu atrás, com gol de Melgarejo no primeiro tempo. Josué e Jô viraram o placar ainda antes do intervalo, mas nos minutos finais, cobrando um pênalti duvidoso, Torales deixou tudo igual.

O primeiro tropeço na Libertadores de 2014 manteve o Galo na liderança da chave, com sete pontos, três a mais que o próprio Nacional, segundo colocado. Independente Santa Fé e Zamora, que se enfrentaram nesta quarta, com vitória dos venezuelanos por 2 a 1, somam três pontos cada.

A partida marcou o reencontro do grande craque atleticano, Ronaldinho Gaúcho, com o estádio Antonio Aranda. Foi no local que o ídolo estreou com a camisa da seleção brasileira, marcando um golaço na goleada sobre a Venezuela por 7 a 0, pela Copa América de 1999.

O Atlético voltará a campo pela competição continental já na próxima quarta-feira, novamente para encarar a equipe paraguaia. Se vencer, o time dirigido por Paulo Autuori ficará a um empate de confirmar a classificação.

Autuori vem podendo manter a base do time do ano passado. O único problema atualmente é a lesão do zagueiro Réver, que ainda deverá ficar afastado dos gramados por cerca de dois meses. Otamendi, da seleção argentina, vem sendo o substituto.

No Nacional, a única dúvida de Gustavo Morínigo era o atacante Benítez. Autor do gol da vitória sobre o Cerro Porteño por 1 a 0 no último sábado, ele vinha sentindo dores musculares, mas foi para o jogo.

O começo da partida foi de domínio dos donos da casa, que por pouco não abriram o placar logo aos três minutos. Josué vacilou na saída de bola e deu um presente para Melgarejo, que chutou rente à trave direita.

Apesar de ser volante, Melgarejo era o jogador mais perigoso do duelo até então e fez 1 a 0 para o Nacional aos oito. Bareiro fez a enfiada entre os defensores e encontrou o camisa 14, que arrematou cruzado na saída de Victor.

A situação do Galo, até então acuado e apenas “assistindo” ao adversário, poderia ter ficado ainda pior aos 16. Torales subiu mais que a marcação após cruzamento, cabeceou firme e carimbou o travessão.

Depois dos 20 minutos, porém, o atual campeão acordou e partiu para a reação, que começou aos 22. Ronaldinho fez boa jogada pela meia esquerda e tocou para Josué, que bateu firme no canto direito e deixou tudo igual.

Animado com o empate, o Atlético partiu para cima e não demorou a virar. Aos 25 minutos, Jô rolou para Diego Tardelli, que chutou rasteiro e errou por pouco. Um minuto depois, porém, Dátolo desceu pela esquerda, saiu da marcação e tocou rasteiro para Jô concluir e superar o goleiro Don.

A partir daí, o ritmo do jogo caiu até o intervalo, e a melhor oportunidade antes da ida dos times para os vestiários foi de Orué, aos 32. O meio-campista pegou sobra na entrada e bateu perto da trave direita.

A inércia foi quebrada apenas aos 13 minutos do segundo tempo, no talento de Ronaldinho. O camisa 10 bateu falta com efeito pela meia esquerda e errou por centímetros. Quatro minutos depois, o craque levantou na cabeça de Leonardo Silva, que desviou para defesa firme de Don.

O Nacional ficava mais com a bola, mas era o Galo que estava mais perto de marcar mais um gol. Aos 26 minutos, fez sua jogada característica, partindo em diagonal da direita para o meio, e invadiu a área, mas não concluiu com precisão.

Abusando do chuveirinho e dos lançamentos longos, o time paraguaio assustou aos 32, graças a uma saída errada de Victor. O goleiro não achou nada no levantamento de Benítez, mas foi salvo por Alex Silva, que entrara em lugar de Dátolo e tirou em lateral.

O Atlético teve duas chances seguidas para “matar” o jogo, mas a bola levantada por Fernandinho, aos 37, ficou viva na área e ninguém aproveitou. Aos 39, Tardelli ficou com a bola após o erro da defesa, mas seu chute foi defendido por Don.

O castigo aconteceu aos 42, em mais uma bola levantada na área. O árbitro viu mão de Otamendi e marcou pênalti, cobrado por Torales. O atacante bateu no meio do gol, no alto, e venceu Victor, que caiu para a direita.

Houve pouco tempo para que o atual campeão buscasse a vitória. Fernandinho ainda criou mais uma oportunidade, aos 43, mas a finalização de Leandro Donizete foi muito alta, e Don apenas acompanhou com os olhos.