Jon Jones garante que não é viciado em cocaína e que está se submetendo a dois testes antidoping por semana

  • Por André Raniere
  • 20/01/2015 18h45
Jon Jones (esq.) provocou Daniel Carmier (dir) após a vitória no UFC 182
Em entrevista ao programa americano “Fox Sports Live”, o campeão dos pesos meio-pesados do UFC, Jon Jones, que foi pego recentemente com cocaína no sangue, abriu o jogo sobre o ocorrido.

O lutador descreveu as suas últimas semanas como “doces e amargas ao mesmo tempo”, garantiu que não é viciado em cocaína, e também confirmou que ficou apenas 24 horas na clínica de reabilitação. Apesar disso, ele disse que está tendo acompanhamento em casa e que continua sendo testado semanalmente.

Jones também revelou sempre soube que o teste daria positivo, e que durante todo o período em que aguardava o resultado, tentou não se preocupar e se concentrar na luta principal do UFC 182, contra Daniel Cormier.

Perguntado sobre o que o teria levado a usar cocaína em um período tão próximo da luta, o campeão foi sincero. “Essa é a grande questão. Por que eu fiz isso tão próximo da luta? Eu definitivamente não tenho uma justificativa. Eu fiz isso em uma festa. Mas eu acho que seria covarde da minha parte chegar aqui com uma desculpa super elaborada, ou tentar culpar alguém. Eu não vou fazer isso. A culpa não foi dos meus amigos, nem da pressão, nem do estresse. Eu simplesmente fiz uma burrada”, disse Jones.

Ele também garantiu que não é, e nunca foi, dependente da droga. “Eu não sou um viciado em cocaína, nem mesmo um usuário frequente. Eu só tomei uma decisão estúpida e fui pego de calças curtas. Não há desculpas pra isso. Agora, eu só tenho que fazer as coisas certas.

Sobre a polêmica de que teria ficado apenas um dia na clínica de reabilitação, Jones esclarece: “Eu fui para a clínica de reabilitação para uma avaliação de 24 horas. Conversei com três médicos por quase sete horas. Falamos sobre todo o tipo de assunto. E eles concluíram que eu não precisa ser internado.”

Apesar disso, o lutador garantiu que esta recebendo um acompanhamento em casa e que está sendo testado duas vezes por semana.

Relembre o caso

Jon Jones foi testado pela Comissão Atlética de Nevada no dia quatro de dezembro. O resultado saiu no 23 do mesmo mês, mas foi mantido em segredo.

A luta contra o Daniel Cormier aconteceu no dia três de janeiro, duelo em que Jon Jones venceu por decisão unânime dos juízes e manteve o seu cinturão.

Só no dia cinco, dois dias após o UFC 182, é que o campeão ficou sabendo do resultado do teste. A notícia só se tornou pública quando o Yahoo norte-americano divulgou a informação em seu site.

Logo na sequência, o lutador emitiu uma nota se desculpando e dizendo que iria se internar em uma clínica de reabilitação. Então foi a vez do UFC se pronunciar e dizer que não iria punir Jon Jones, e muito menos retirar o seu cinturão.

Segundo o presidente da organização, Dana White, a Comissão Atlética de Nevada cometeu um erro ao testar o lutador para drogas recreativas. Esse tipo de substância só deve ser testada na semana da luta, o que não foi o caso. Por essa razão, o Ultimate não poderia puni-lo.

Poucos dias depois do caso vir à tona, a mãe do campeão veio a público e declarou que o filho ficou apenas uma semana na clínica de reabilitação. Então, mais uma vez, Dana White precisou esclarecer a situação, desmentindo a informação, e dizendo que a verdade seria revelada em breve.