Morre Bebeto de Freitas, técnico da Geração de Prata e ex-presidente do Botafogo

  • Por Jovem Pan
  • 13/03/2018 16h18
Bruno Cantini/Atlético-MG/DivulgaçãoFigura história do esporte brasileiro, Bebeto de Freitas era diretor de administração e controle do Atlético-MG

O esporte brasileiro perdeu uma figura icônica. Técnico da Seleção Brasileira masculina de vôlei medalhista de prata nos Jogos Olímpicos de 1984 e ex-presidente do Botafogo, Bebeto de Freitas sofreu uma parada cardíaca e morreu na tarde desta terça-feira, aos 68 anos.

O dirigente passou mal no hotel da concentração do Atlético-MG, clube no qual atuava como diretor de administração e controle. Um helicóptero pousou na Cidade do Galo para levar Bebeto ao hospital, mas ele não resistiu e faleceu antes disso.

A morte foi, de fato, súbita. Tanto que, na manhã desta terça-feira, Bebeto havia participado normalmente do lançamento do time de futebol americano do Atlético-MG, em Belo Horizonte.

Após o evento, ele se dirigiu ao hotel do clube, localizado na parte auperior do CT, e se sentiu mal enquanto apresentava as acomodações da concentração a convidados. Ele recebeu um primeiro atendimento médico em um dos quartos do prédio, mas faleceu antes de ser levado ao hospital.

O fato alterou a programação do Atlético-MGUma das coletivas que aconteceria no CT alvinegro foi canceladajogadores e dirigentes que estavam no local se mostraram muito abatidos com o ocorrido. O time se prepara para o confronto com o Figueirense, pela terceira fase da Copa do Brasil, marcado para a próxima quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Independência. O clube declarou luto oficial de três dias.

Quem foi Bebeto de Freitas?

Paulo Roberto Freitas teve boa parte da carreira ligada ao voleibol. Ele foi jogador e técnico da Seleção Brasileira masculina. Foi Bebeto, por exemplo, quem comandou a equipe verde-amarela no vice-campeonato olímpico em Los Angeles-1984 – aquela Seleção é conhecida até hoje como a “Geração de Prata” do voleibol nacional. 

No futebol, Bebeto notabilizou-se por ter sido presidente do Botafogo entre 2003 e 2008. Em 2009, ele voltou ao Atlético-MG, clube no qual havia iniciado a carreira nos campos, para atuar como diretor-executivo. Assumiu a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer na gestão de Alexandre Kalil na Prefeitura de Belo Horizonte, no início de 2017, e, com a eleição de Sérgio Sette Câmara para a presidência do Atlético-MG, no fim do ano passado, retornou ao clube para exercer o cargo de diretor de administração e controle.