Mortes das lendas Eusébio e Di Stéfano marca ano de 2014 no esporte

  • Por Agencia EFE
  • 23/12/2014 15h27

Bruno Guedes.

Redação Central, 23 dez (EFE).- O ano de 2014 foi marcado pela morte de duas das maiores lendas do futebol mundial, o português Eusébio e o hispano-argentino Alfredo Di Stéfano, assim como a de personagens bastante conhecidos no Brasil como Bellini, Fernandão e o “casal 20” Washington e Assis.

O Pantera Negra foi a primeira grande personalidade esportiva a falecer em 2014, em 5 de janeiro, vítima de insuficiência cardíaca, ocorrida 20 dias antes de completar 72 anos. Por todo o mundo, Eusébio recebeu homenagens, as maiores em Portugal, inclusive com o Benfica cedendo o Estádio da Luz para seu funeral.

O futebol luso sofreu outro duro golpe em 25 de fevereiro, com a morte de Mário Coluna, ou “O Monstro Sagrado”, como o meia ficou conhecido. Companheiro de Eusébio na seleção e no Benfica, o ex-jogador não resistiu a complicações decorrentes de uma infecção pulmonar.

Em 7 de julho, morreu Di Stéfano, aos 88 anos, em decorrência de um enfarte sofrido dois dias antes, durante a comemoração de seu aniversário. De saúde frágil, o ex-craque de River Plate e Real Madrid já havia se tornado pivô de uma disputa familiar, já que seus filhos tentaram impedir o casamento com uma mulher mais jovens.

A morte do ex-atacante nascido na Argentina e radicado na Espanha também foi cercada de muita comoção e homenagens. Assim como Eusébio, foi velado no local onde brilhou mais intensamente, o estádio Santiago Bernabéu.

A Espanha também viu dois técnicos, de gerações distintas, darem adeus em 2014. Em 1º de fevereiro, morreu Luis Aragonés, um dos maiores ídolos da história do Atlético de Madrid, em que atuou como técnico e jogador, e campeão com a seleção do país na Eurocopa de 2008. O comandante faleceu aos 75 anos, de leucemia.

Em 25 de abril foi a vez da partida de Tito Vilanova, ex-Barcelona, de 45 anos. O espanhol travou dura batalha de dois anos contra um câncer na glândula parótida. A morte do jovem profissional foi um golpe para boa parte do elenco catalão, que o conhecia bem desde sua chegada ao corpo técnico do clube, em 2007.

Nome marcado na galeria dos grandes do futebol mundial, menos pela técnica e mais por imortalizar o gesto de erguer a taça, o capitão do primeiro título brasileiro em Copas do Mundo, o ex-zagueiro Bellini morreu no dia 20 de março.

Ídolo de Vasco, São Paulo e Atlético Paranaense, o paulista de Itapira sofria de Mal de Alzheimer, e faleceu em decorrência de complicações causadas por parada cardíaca. Seu velório aconteceu no salão nobre do estádio do Morumbi.

Um dos momentos mais trágicos no esporte em 2014 acabou sendo a morte do ex-atacante Fernandão, que estava em um helicóptero que caiu na cidade de Aruanã, no interior de Goiás, em 7 de junho. O goleador em clubes como Goiás, Internacional e São Paulo, chegou a ser resgatado com vida, mas morreu no hospital.

As maiores homenagens a Fernandão vieram do Colorado, em que ganhou o título do Campeonato Mundial de Clubes, em 2006. O ex-atleta ganhou estátua e teve um memorial inaugurado no estádio do Beira-Rio.

No país, outras perdas muito sentidas foram a do ex-técnico Mário Travaglini, que morreu aos 81 anos, e de Washington e Assis, eternizados como a dupla “Casal 20”, que brilhou na década de 80 no Fluminense, e que morreram com pouco mais de um mês de diferença.

Além deles, partiram Marinho Chagas, lateral da seleção brasileira na Copa do Mundo de 1974, e Oberdan Cattani, ex-goleiro do Palmeiras.

Fora do esporte, uma das perdas mais sentidas foi a do australiano Jack Brabham, único campeão da F-1 com carro da própria equipe. Dono dos títulos mundiais de 1959, 1960, 1966, o último com a escuderia Brabham, o ex-piloto morreu aos 88 anos.

O ano também marcou a despedida do ex-pugilista Rubin “Hurricane” Carter, que faleceu no Canadá aos 72 anos, vítima de câncer na próstata. A história do americano ficou marcada pela interrupção de uma promissora trajetória do esporte, por uma acusação de triplo homicídio.

Bob Dylan eternizou a história em 1975, com a música que contava a injustiça com Hurricane. Em 1985, um novo julgamento pôs o ex-lutador em liberdade depois de quase 20 anos preso erroneamente.

No fim do ano, em 27 de novembro, morreu o australiano Phillip Hughes, de 25 anos, que havia sido recebido uma bolada na cabeça durante uma partida de críquete dois dias antes.

O jogador, que era atleta de seleção, sofreu grave lesão no cérebro, em lançamento de Sean Abott, que recebeu grande apoio para voltar a atuar, posteriormente, devido ao abatimento por causa da morte do companheiro de profissão.

None

Personalidades importantes do esporte que faleceram em 2014:.

None

05/01 – Eusébio (ex-jogador de futebol – Portugal).

12/01 – John Button (ex-piloto de rali – Inglaterra).

01/02 – Luis Aragonés (ex-jogador e técnico de futebol – Espanha).

13/02 – Richard Moller Nielsen (ex-técnico de futebol – Dinamarca).

20/02 – Mário Travaglini (ex-técnico de futebol – Brasil).

25/02 – Mário Coluna (ex-jogador de futebol – Portugal).

20/03 – Bellini (ex-jogador de futebol – Brasil).

12/04 – Maurício Alves (jogador de futebol – Brasil).

20/04 – Rubin “Hurricane” Carter (ex-boxeador – Estados Unidos).

25/04 – Tito Vilanova (técnico de futebol – Espanha).

27/04 – Vujadin Boskov (ex-técnico de futebol – Sérvia).

04/05 – Elena Baltacha (tenista – Inglaterra).

10/05 – Yeso Amalfi (ex-jogador de futebol – Brasil).

19/05 – Jack Brabham (ex-piloto de Fórmula 1 – Austrália).

23/05 – Joel Camargo (ex-jogador de futebol – Brasil).

25/05 – Washington (ex-jogador de futebol – Brasil).

31/05 – Marinho Chagas (ex-jogador de futebol – Brasil).

07/06 – Fernandão (ex-jogador de futebol – Brasil).

20/06 – Oberdan Cattani (ex-jogador de futebol – Brasil).

24/06 – Giba (ex-jogador e técnico de futebol – Brasil).

06/07 – Assis (ex-jogador de futebol – Brasil).

07/07 – Alfredo Di Stéfano (ex-jogador de futebol – Argentina/Espanha).

16/07 – Armando Marques (ex-árbitro de futebol).

30/07 – Julio Grondona (dirigente de futebol – Argentina).

05/08 – Angéla Németh (ex-lançadora de dardos – Hungria).

03/10 – Lori Sandri (ex-técnico de futebol – Brasil).

05/10 – Andrea De Cesaris (ex-piloto de Fórmula 1 – Itália).

26/10 – Senzo Meyiwa (jogador de futebol – África do Sul).

29/10 – Klas Ingesson (ex-jogador e técnico de futebol – Suécia).

27/11 – Phillip Hughes (jogador de críquete – Austrália). EFE