Bernardinho é eliminado precocemente e cria polêmica sobre jogadora transexual

  • Por Jovem Pan
  • 27/03/2019 13h55
Alexandre Loureiro/ CBV/ inovafotoBernardinho pediu desculpas por ofensa

O técnico Bernardinho teve uma noite difícil nesta terça-feira (26). Acostumado a chegar na final da Superliga Feminina de vôlei, ele foi eliminado com o Sesc Rio de Janeiro e ainda virou pivô de polêmica, por causa da jogadora transexual Tiffany.

Em casa, a equipe carioca perdeu para o Sesi-Bauru por 3 sets a 1 e ficou fora das semifinais pela primeira vez desde que Bernardinho começou o projeto há 22 anos, sendo que vinha de 14 finais consecutivas.

Mas foi uma frase dita por Bernardinho que viralizou. Após um ponto de Tiffany, ele disparou: “é um homem, é f…!”. A imagem de Bernardinho pronunciando a frase em tom de desabafo foi flagrada por uma câmera da transmissão ao vivo da TV e reproduzida algumas horas depois nas redes sociais.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Hoje era para ser um dia feliz para comunidade LGBTQI! Tifanny esta tendo uma bela segunda temporada de aceitação, onde a grande maioria finalmente entendeu que ela é uma mulher boa jogadora com dias bons e dias ruins como várias outras! Hoje ela e todo time do Bauru jogaram bem, algo que não aconteceu no jogo anterior, e mereceram a vitória classificatória na bola em quadra! Porém foi triste ouvir da boca de um técnico referência mundial, bicampeão olímpico, recordista em prêmios de Superliga que ela era um homem! ” Um homem! É foda! ” Transfóbicos e homofóbicos não vão passar sem serem apontados na nossa página! Pode ser o papa do vôlei… Vamos desmarcarar todos! Parabéns para o time feminino do Vôlei Bauru, mulheres incríveis que ganharam jogando por merecimento e sem nenhuma vantagem! #angelsvolley #angelsvolleybrazil #volei #voleibol #volley #volleyball #gayvolleyball #volleyballgays #volleygays #superligafeminina #superligadevolei #esporte #sport #sportsgay #sportgay #gaysport #gaysports #copaangels #copaangelsvolley #transfobia #direitostrans #mexeucomumamexeucomtodas #voleifeminino #direitodamulher #contraomachismo #mulheresunidas #convivertransforma #visibilidadetrans #diadavisibilidadetrans

Uma publicação compartilhada por Angels Volley Brazil (@angelsvolley) em

Após uma enxurrada de críticas, logo pela manhã, o ex-treinador das seleções feminina e masculina de vôlei se desculpou em uma postagem de um time LGBT, Angels Volley Brazil.

“Peço desculpas a todos. Não foi minha intenção de forma alguma ofendê-la. Me referia ao gesto técnico e ao controle físico que ela tem, comum aos jogadores do masculino e que a maior parte das jogadoras não tem. Sempre trabalhei e tentei ajudar com meu trabalho diversos jogadores e jogadoras sem qualquer tipo de preconceito. À Tiffany dou meus parabéns pela grande atuação e conquista. E a todos que se sentiram ofendidos reitero minhas desculpas, pois jamais foi minha intenção”, escreveu Bernardinho.

Em quadra, Tiffany foi a principal pontuadora da partida, com 28 pontos. O Sesi-Bauru passou pelo Sesc-RJ por 2 a 1 na série melhor-de-três das quartas de final e agora terá pela frente o Praia Clube, de Uberlândia (MG), atual campeão da Superliga Feminina.

Com Estadão Conteúdo