Há 7 anos sem vitória, brasileiros admitem que o objetivo na São Silvestre é chegar no pódio

  • Por Jovem Pan
  • 29/12/2018 16h38
DivulgaçãoMarílson venceu a São Silvestre em 2010

O atletismo brasileiro vive uma péssima fase na Corrida de São Silvestre. Entre os homens, a última vitória foi em 2010, com Marílson dos Santos. Entre as mulheres, foi em 2006, com Lucélia Peres. E no ano passado o país teve os piores resultados dos últimos 45 anos – os melhores colocados foram Éderson Pereira, em 12º lugar, e Joziane Cardoso, em 10ª. Com tudo isso, os brasileiros sabem que só dá para mirar uma posição no pódio em 2018.

“Eu sonho em estar presente no pódio, mas no dia muita coisa pode acontecer. Temos que ver como será a prova, porque depende muito da estratégia. Não depende sair correndo com tudo logo de início”, disse Pereira. “Vencer é algo que depende das condições. Vou batalhar para estar no pódio. É este o meu objetivo”, completou o brasileiro de melhor resultado no último ano.

Joziane, destaque feminino em 2017, diz ter como prioridade subir ao pódio, assim como já fez em outras edições. “Já tive um quarto lugar (em 2015) e estou em busca de um novo pódio. Eu treinei bastante, quero fazer uma boa prova. Minha tática é largar junto das meninas, mantendo contato para não deixar elas abrirem distância”, explicou a corredora.

Nos últimos anos, os africanos dominaram a prova, em especial os quenianos. Por isso, os brasileiros admitem serem zebras na São Silvestre. “A gente se prepara, é claro, mas temos que contar com as falhas deles. Vamos torcer para eles errarem para chegarmos bem na prova e ter um bom resultado”, disse o pernambucano Wellington Bezerra, que foi segundo colocado na Maratona de São Paulo neste ano.

A São Silvestre será realizada na segunda-feira, com largada às 8h40 para a prova feminina e às 9h para a competição masculina. A saída e a chegada serão na Avenida Paulista.

Com Estadão Conteúdo