Leifert critica manifestações políticas dentro do esporte e é rebatido por internautas

  • Por Jovem Pan
  • 26/02/2018 12h06
ReproduçãoAtualmente, Tiago Leifert apresenta os programas Big Brother Brasil, The Voice e Zero Um

Ex-apresentador do Globo Esporte, hoje no comando do Big Brother Brasil, Tiago Leifert recebeu uma enxurrada de críticas nas redes sociais. Tudo por um texto em que defende que esporte não é lugar para manifestações políticas, publicado em sua coluna no site da revista GQ Brasil.

Leifert criticou desde a obrigação da execução do hino nacional antes das partidas até o famoso protesto de Colin Kaepernick, ex-quarterback do San Francisco 49ers que iniciou a onda de manifestações de jogadores negros na NFL e causou a irritação do presidente Donald Trump na temporada passada. O apresentador também deixou subentendido que as vaias contra Dilma, durante a Copa do Mundo, e Temer, durante a Olimpíada, são exemplos de que “essas duas substâncias não devem ser consumidas ao mesmo tempo”.

“Será que o evento esportivo é um local apropriado para manifestações políticas? Eu acho que não. Olhando por todos os lados, não vejo motivos para politizar o esporte”, escreveu o apresentador da TV Globo.

Nas redes sociais, as críticas ao texto foram imediatas. Alguns internautas lembraram outras manifestações famosas, como dos atletas Tommie Smith e John Carlos, com os punhos cerrados durante a Olimpíada da Cidade do México, em 1968, em apoio ao movimento dos Panteras Negras, que lutava pelos direitos civis dos negros nos Estados Unidos.

Na última semana, durante a eliminação de Nayara no BBB, Tiago também se manifestou contra a política no reality show, ao criticar participantes que tentam representar algum grupo ou comunidade dentro do programa.