Mercedes muda detalhes na pintura e busca igualar recorde da Ferrari

  • Por Jovem Pan
  • 13/02/2019 10h47
Mercedes/ DivulgaçãoCor prata ficou mais fosca no novo carro

Depois de conquistar 5 títulos seguidos de construtores, a Mercedes está a um passe de igualar a Ferrari. Só a escuderia italiana já venceu 6 mundiais seguidos até agora. E a equipe alemã pode conquistar isso com uma pintura que apresenta poucas novidades em relação aos carros de anos anteriores. O modelo W10 será guiado pela dupla formada pelo inglês Lewis Hamilton e pelo finlandês Valtteri Bottas.

O monoposto manteve o seu visual predominantemente prata e acrescentou mais detalhes em verde água, cor da principal patrocinadora da escuderia, a petrolífera malaia Petronas. Desta vez, porém, foi adotado um prateado um pouco mais fosco do que o visto na temporada passada, quando Hamilton se consagrou com um histórico pentacampeonato, se igualando ao argentino Juan Manuel Fangio como segundo maior vencedor de títulos da F-1.

O novo modelo também trouxe como novidade na sua pintura a inserção de várias estrelas pequenas da Mercedes, que identificam a famosa marca e foram colocadas na parte superior traseira do monoposto. E o mesmo já foi para a pista nesta quarta-feira, no circuito de Silverstone, na Inglaterra, para o chamado “shakedown”, que é uma espécie de teste de checagem de componentes do carro. no qual cada equipe da F-1 pode rodar até 100km na pista antes da primeira bateria de testes coletivos da categoria, que começarão na próxima segunda-feira, em Barcelona

O shakedown, no qual cada equipe da F-1 pode rodar até 100km na pista antes da primeira bateria de testes coletivos da categoria, que começarão na próxima segunda-feira, em Barcelona, é realizado com os carros usando pneus superduros de demonstração da Pirelli e os times da F-1 podem usá-lo para fazer filmagens dos modelos.

E apesar de a Mercedes defender um inevitável favoritismo mais uma vez, o diretor da equipe, Toto Wolff, exibiu um discurso cauteloso ao falar sobre o novo carro, tendo em vista o fato de que o mesmo precisou passar por algumas pequenas mudanças em seu design para atender regulamentações aerodinâmicas exigidas para esta temporada de 2019.

“Desde 2017, essa é a segunda vez que temos uma grande mudança nos regulamentos. Tudo foi redefinido”, afirmou o dirigente, que também enfatizou: “A temporada de 2019 será um novo desafio para todos nós. Os regulamentos mudaram substancialmente. Temos de começar do zero, precisamos nos provar novamente – contra nossas próprias expectativas e contra nossos concorrentes”.

Neste próximo Mundial, que começa no dia 17 de março, com a disputa do GP da Austrália, em Melbourne, Hamilton terá a chance de ficar a apenas um título de Michael Schumacher, sete vezes campeão do mundo e recordista maior da F-1. Dominante, o inglês ganhou quatro dos últimos cinco campeonatos que disputou pela Mercedes, triunfando em 2014, 2015, 2017 e 2018. Em meio a este período, o agora aposentado Nico Rosberg faturou o título pelo time na temporada de 2016.

Com Estadão Conteúdo