‘Pódio mais justo’ para campeonatos de natação leva ‘fair play’ a outro nível

Federação Paulista apresenta ‘Fair Podium’ com presença de medalhistas olímpicos

  • Por Marina Ogawa/Jovem Pan
  • 23/04/2019 13h07
Liliane Yoshino/FAPManoel dos Santos, Ricardo Prado, Gustavo Borges e Poliana Okimoto participam de apresentação do novo "pódio mais justo"

Em busca de uma nova forma de representar os resultados na natação, a Federação Aquática Paulista (FAP) lançou no início da tarde desta terça-feira (23) um novo formato de pódio.

O “Fair Podium” traz um retrato fiel do resultado dos atletas, desta forma, a diferença de altura entre primeiro, segundo e terceiros lugares irá variar conforme o tempo feito por cada nadador. Assim, a diferença de um centésimo, por exemplo, será refletida na altura de cada classificação.

O novo pódio será algo novo para a premiação na natação e deverá ser usado nos próximos campeonatos estaduais. O presidente da FAP, Marcelo Biazoli, classificou o novo pódio como a “transição da era passada para a era moderna”.

Presentes no evento, estavam os medalhistas olímpicos na natação e maratona aquática: Manoel dos Santos, bronze em Roma 1960; Ricardo Prado, prata em Los Angeles 1984; Gustavo Borges, prata em Barcelona 1992 e Poliana Okimoto, bronze na Rio 2016.

Os quatro reproduziram os pódios olímpicos da “forma mais justa”, refletindo os tempos feitos pelos atletas e as diferenças entre eles.

O conceito utilizado para a construção do pódio foi o “fair play”, como uma forma de traduzir da melhor forma tais diferenças em cada classificação final.

Respondendo a jornalistas, os medalhistas olímpicos ressaltaram a importância da iniciativa. O ex-nadador Ricardo Prado destacou a melhora do evento de premiação como “um espetáculo”.

O ex-velocista Gustavo Borges, por sua vez, ressaltou que o mais importante do que o pódio é a colocação.

A nadadora de provas longas, tanto em piscina, quanto no mar, Poliana Okimoto, lembrou que o novo formato de pódio irá agradar as categorias de base: “para eles é diferente essa coisa de um centímetro mais alto. Vai ser um sucesso na categoria de base”.

O novo pódio será utilizado nos campeonatos paulistas já no próximo semestre e, segundo o presidente da FAP, as demais modalidades como polo aquático e maratonas aquáticas também contarão com a nova tecnologia.

Sobre a possibilidade de o pódio ser utilizado pela Confederação Brasileira em campeonatos nacionais absolutos e de categoria, Marcelo Biazoli disse que “é o caminho”.