Samuka supera trauma da amputação nadando e vira destaque até na frente das câmeras

  • Por Allan Brito/ Jovem Pan
  • 14/11/2018 10h11 - Atualizado em 22/11/2018 16h42
Facebook/ ReproduçãoSamuel faz campanha para arrecadar dinheiro e assim se apresentar fora do Brasil

“Samuka supera”. Esse nome é perfeito para o canal de vídeos do adolescente Samuel de Oliveira. Afinal é exatamente isso que ele faz diariamente: supera o trauma de ter perdido os 2 braços na infância, se destaca na natação, inclusive participando da Liga Nescau Jovem Pan, e ainda chama atenção na frente das câmeras, mostrando essa rotina no YouTube e até na televisão.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Assistindo ❤️ Nick

Uma publicação compartilhada por Samuka Supera (@samukasuperaoficial) em

Samuel teve os braços amputados porque foi resgatar uma pipa e sofreu uma forte descarga elétrica. E há uma história que mostra como ele superou bem esse problema. A mãe dele, Micheli, conta que recentemente chegou perto de casa e encontrou Samuel brincando com pipas novamente.

Claro que Micheli ficou assustada, mas depois percebeu o lado positivo: “É bom ele não ter trauma. Não sei como seria nossa vida se ele fosse revoltado ou só reclamasse”, afirma ela, que até procurou um lugar seguro para Samuel voltar a brincar com pipas novamente.

A personalidade forte e alegre de Samuel permitiu que ele se recuperasse melhor. Edna, que é professora dele na AACD, diz que se trata de um “espírito evoluído” e elogia: “Quando ele entrou para a natação, ele morria de medo. Mas hoje representa o Brasil no nado artístico fora do Brasil. E foi muito simpático. Foi um sucesso, todo mundo querendo tirar fotografia com ele no Japão, na Itália e nos Estados Unidos”.

Micheli diz que o acidente e o esporte fizeram a personalidade do filho ficar mais evidente: “Sempre achei que essa personalidade dele era de criança terrível, que dava muito trabalho. Mas hoje vejo que é algo dele, que tem uma mente boa. Ele é limitado, mas não vê limite para nada”.

Agora o maior problema de Samuel é financeiro. Sem avisar para a mãe, ele passou a praticar nado artístico, algo que gera um custo adicional, pois a AACD não banca todos custos. Mas há uma campanha de arrecadação de dinheiro, inclusive com ajuda da professora Edna. Pessoas interessadas podem ligar para ela e se informar sobre como ajudar: (11) 975432360.

Recentemente a AACD ganhou um grande aporte financeiro por causa do programa Teleton, mas esse valor não vai para o esporte, segundo Edna: “É para reabilitação, cirurgia e aparelhos. São muitas unidades e esse dinheiro é para isso. Mas eu acho bom, porque assim a família valoriza, participa mais e percebe que tudo é possível”. De fato a mãe de Samuel participa de várias formas – organizando bingos, rifas, juntando latinhas e vendendo artesanato. E é assim que Samuka supera mais um desafio.