Rivalidade, gols e confusão: Relembre São Paulo 3×2 Santos pelo Brasileirão de 2002

  • Por Guilherme Semerene/Jovem Pan
  • 11/02/2015 12h18
Futebol - Campeonato Brasileiro, 2002 - Santos 2 x 1 São Paulo: com Rogério Ceni ao fundo, o jogador Diego, do Santos, festeja o seu gol contra o São Paulo durante partida disputada no estádio do Morumbi, em São Paulo. (São Paulo, SP, 28.11.2002. Foto de Jorge Araújo/Folhapress)Santos-diego-gol-penalti-simbolo-confusao

Hoje é dia de clássico San-São. Às 22h, na Vila Belmiro, alvinegros e tricolores se enfrentam pela 4ª rodada do Paulistão. O confronto já ofereceu partidas memoráveis com vários craques atuando pelos dois lados. Vamos relembrar um duelo que aconteceu no Brasileirão de 2002.

Há aproximadamente 12 anos, O São Paulo recebeu o Santos no Morumbi, pela 13ª rodada do Nacional. Líder, o tricolor vinha de três vitórias seguidas, enquanto o Santos estava há oito partidas sem perder.

Na primeira etapa, o Peixe dominou o jogo, comandado por Diego e Robinho, mas perdeu algumas oportunidades, parando em Rogério Ceni. Assim, logo no início do segundo tempo, Luís Fabiano abriu o placar, de pênalti, e em seguida Reinaldo ampliou. Para piorar a situação do time da Vila, Paulo Almeida foi expulso.

Com um a menos, o Santos foi para cima. Robert entrou no jogo e em seu primeiro lance abriu o placar, diminuindo a vantagem são-paulina para 2 a 1. Na sequência, o volante Ameli, do São Paulo também recebe o vermelho e as duas equipes ficam dez em campo.

Confusão
Mais inteiro na partida, o Peixe foi para cima e depois de pênalti de Kaká em Léo e a expulsão do meia, a quarta no jogo, Diego foi para a cobrança da penalidade. A defesa de Ceni no chute do camisa dez santista foi considerada irregular, pois o arqueiro teria se adiantado. Na segunda tentativa, Diego marcou e empatou.

Na comemoração, o santista celebrou o gol pisando no símbolo do São Paulo. Irritado, o volante Fábio Simplício foi tirar satisfações com Diego e mais uma confusão começou. Simplício pediu mais respeito e Diego respondeu que não tinha a intensão de atacar ninguém.

Com a partida normalizada, Ricardinho colocou o Tricolor na frente novamente, de pênalti. Para colocar ainda mais polêmica no confronto, o meia também foi comemorar em cima do escudo tricolor e consagrar o time do Morumbi ainda mais líder. As equipes voltariam a se encontrar pelas oitavas de final da competição e o Santos eliminaria o São Paulo e se sagraria campeão brasileiro daquele ano.