Roberto Cabañas, ídolo da seleção paraguaia, morre aos 55 anos

  • Por Jovem Pan
  • 09/01/2017 16h10
Pela seleção paraguaia

O ex-jogador e ídolo do futebol paraguaio, Roberto Cabañas González, morreu na madrugada desta segunda-feira, aos 55 anos, em Assunção. O Pantera, como era conhecido pelos torcedores foi vítima de uma parada cardíaca.

Campeão da Copa América com a seleção paraguaia em 1979, o atacante também disputou a Copa do Mundo de 1986. Por clubes, Roberto Cabañas se destacou com as camisas do New York Cosmos, onde conquistou dois títulos norte-americanos na década de 80, América de Cali, na Colômbia, Boca Juniors, na Argentina, e Lyon, na França.

Jogou também pelo Cerro Porteño, do Paraguai, onde iniciou a carreira em 1979, Brest, da França, Barcelona, do Equador, e Independiente de Medellín, da Colômbia. Parou de jogar em 2000, no Real Cartagena, da Colômbia, aos 39 anos. Depois teve uma breve experiência como treinador no futebol colombiano e trabalhou como comentarista esportivo.

Ao longo da carreira, Roberto Cabañas ficou marcado pela técnica e faro de gol, mas também pelo comportamento explosivo. Durante sua passagem pelo Boca Juniors, além de gols, também proporcionou “cenas lamentáveis”, muitas delas em clássicos contra o River Plate.

Conmebol, Federação Paraguai de Futebol e ex-companheiros, como Faustino Asprilla, lamentaram a morte do ídolo Roberto Cabanãs nas redes sociais: