Tetra alemão, vexames de campeões e show da torcida: relembre histórias da Copa

  • Por Jovem Pan
  • 24/12/2014 11h46
Retrospectiva Copa do Mundo; veja fotos

O Brasil viveu um período de êxtase com a disputa da Copa do Mundo de 2014, jogada entre os dias 12 de junho a 13 de julho. Com belas festas protagonizadas pelas torcidas sul-americanas, que cantavam forte no momento de seus hinos nacionais, jogos emocionantes em minutos decisivos valendo classificação e claro, o grande título da Alemanha, que levantou a taça do mundial pela quarta vez de sua história.

O Mundial também contou com outros fatos importantes, que ajudaram o evento ganhar um gosto especial em relação às últimas edições. Quem não vai lembrar-se dos vexames de Itália, Espanha e Inglaterra, que não conseguiram avançar nem da primeira fase? Ou da super campanha da Costa Rica, que só foi eliminada nas quartas de final pela Holanda.

Tivemos também histórias ruins, como a mordida de Luis Suárez em Giorgio Chiellini, que culminou numa suspensão de quatro meses ao uruguaio no futebol. Ruim para o Brasil, o craque Neymar acabou saindo de forma prematura da competição nas quartas de final. Na partida contra a Colômbia, Zúñiga acertou uma joelhada nas costas do camisa 10 e lesionou a coluna do principal nome do Brasil na Copa. Sem ele, a confiança foi ao chão e a Alemanha sambou na frente de Felipão, no Mineirão.

Relembre os grandes momentos da Copa do Mundo do Brasil:

Alemanha garante tetracampeonato

Após anos de reestruturação e eliminações dolorosas nas últimas edições da competição, a Alemanha chegou forte ao Brasil, se concentrando no estado da Bahia. Com todo o carisma de seus jogadores, que se divertiram muito com os brasileiros em seus momentos de folga, os alemães conquistaram um espaço nos corações de quase todos no país.

Depois de sofrer para eliminar a Argélia nas oitavas de final, os alemães não sofreram mais e, depois de atropelarem o Brasil na semifinal, viajaram ao Maracanã para encarar a Argentina em mais uma final. Com gols perdidos de ambos os lados, os europeus garantiram o título na prorrogação, com gol do jovem Mario Götze.

Costa Rica vira Costa “Zica” na internet
A Costa Rica veio desacreditada para tentar não perder de muito no “Grupo da Morte”, formado por Uruguai, Inglaterra e Itália. Com um futebol de muita marcação e um contra-ataque veloz, formado por Bryan Ruiz, Joel Campbell e Cristian Bolaños, os caribenhos passaram em primeiro lugar no grupo e chegaram até as quartas de final, quando foram derrotados pela Holanda, apenas nas penalidades.

As decepções

A Espanha chegou no país como uma das favoritas ao título e saiu dele com uma campanha para se esquecer. Logo na sua primeira partida, foi goleada pela Holanda por 5 a 1. Na partida decisiva contra o Chile, viram os sul-americanos vencerem por 2 a 0 e os eliminarem. A vitória por 3 a 0 contra a Austrália pouco adiantou para salvar a honra hispânica. Inglaterra e Itália tiveram o mesmo destino.

A polêmica
Luis Suárez fez uma recuperação relâmpago para defender o Uruguai na Copa do Mundo. O craque decidiu a partida contra a Inglaterra, marcando os dois tentos da vitória sul-americana sobre os europeus. No jogo contra a Itália, porém, o camisa 9 foi pego mordendo o zagueiro Chiellini e pegou uma suspensão pesada de nove jogos e quatro meses sem poder atuar por nenhum clube, mesmo contratado pelo Barcelona.

O drama
Neymar foi o jogador mais importante do Brasil na Copa do Mundo e vinha levando a equipe nas costas. Contra a Colômbia, o camisa 10 viu a sua participação ser comprometida após uma dura entrada do lateral Zúñiga, que com o joelho, acertou a coluna do jovem atacante e fraturou a terceira vértebra da lombar, tirando-o do Mundial.

E o Brasil…
O Brasil decepcionou a todos na semifinal e sofreu a maior goleada de sua história ao ser derrotada pela Alemanha por 7 a 1, em pleno Mineirão. O famigerado “apagão de seis minutos”, quando a Seleção Brasileira sofreu quatro gols neste espaço de tempo, só não foi mais extenso por conta da tirada de pé do adversário.