“94% das mortes no trânsito decorrem de imprudência”, revela diretor do Detran-SP

  • Por Jovem Pan
  • 12/01/2018 16h49
swaldo Corneti/ Fotos PúblicasPesquisa do Detran-SP mostra que . De 100% dos condutores que passam pelos cursos de reciclagem, 88% passam pela primeira vez e 12% são reincidentes

Uma pesquisa do Detran-SP mostra que o excesso de velocidade foi a maior causa de suspensão e cassação das Carteiras de Habilitação no estado. A análise foi feita com base nos cursos de reciclagem e mais da metade dos entrevistados respondeu que essa foi a infração mais cometida.

Em entrevista à Jovem Pan, o diretor de Habilitação do Detran-SP, Raul Vicentini, explica que os índices têm aumentado, também, por conta do maior controle da fiscalização. “A fiscalização está mais rígida. Não só pela questão dos radares, mas pela ação dos agentes responsáveis pelo trânsito nos municípios”, afirmou.

Segundo Vicentini, o próprio condutor tem reconhecido que excede o limite de velocidade ao chegar à reciclagem. “Na verdade é uma questão comportamental. O condutor tem que ter consciência de que se exceder o limite de velocidade, ele pode colocar em risco a sua vida e a de outras pessoas. As pessoas ainda não amadureceram a ideia de que um desastre não é acidente, mas sim resultado da imprudência”, ressaltou.

“Em nossas estatísticas verificamos que 94% das mortes no trânsito decorrem da imprudência, da falha humana”, completou.

De acordo com o diretor do Detran-SP, a saída para a redução nos números está na reeducação dos motoristas. “Na própria reciclagem o condutor já tem uma grade curricular que impõe algumas regras e questões educacionais sobre o trânsito. Ele já faz a reciclagem para obter novamente o direito de dirigir, mas também atender algumas questões para saber conviver em sociedade. De 100% dos condutores que passam pela reciclagem, 88% passam pela primeira vez e 12% são reincidentes.

Além do excesso de velocidade, as outras infrações mais comuns são estacionamento em local proibido, avanço de sinal vermelho, não uso do cinto de segurança, falar ao celular ao volante e mistura de bebida e direção.

*Com informações do repórter Vitor Brown