Acordo vai reduzir 144 mil toneladas de açúcar em alimentos até 2022

  • Por Jovem Pan
  • 26/11/2018 17h50
Alex Silva/Estadão ConteúdoBiscoitos (ou bolachas) terão maior redução percentual de açúcar, 62,4%

Para reduzir o consumo de 144 mil toneladas de açúcar, o governo federal assinou nesta segunda-feira (26) um acordo com a indústria de alimentos. A meta deve ser atingida em 2022. Isso representa uma diminuição de até 62,4% do açúcar presente hoje nos biscoitos.

“Dentro do que a OMS [Organização Mundial da Saúde] recomenda, vamos buscar sempre que o cidadão tenha informação e, gradativamente, com a redução do nível de açúcar desses alimentos, eles se tornarão mais saudáveis”, afirmou o ministro da Saúde, Gilberto Occhi.

Os brasileiros consomem 80 gramas de açúcar por dia, em média – mais ou menos 18 colheres de chá –, segundo a pasta. A maior parte – 64% – é de açúcar adicionado ao alimento. Os outros 36% estão presentes em alimentos industrializados.

Doze colheres

A recomendação da OMS, meta do governo brasileiro, é de reduzir o consumo de açúcar de 80 para 50 gramas por dia, baixando o total de 18 para 12 colheres de chá. O ideal, entretanto, é que se chegue ainda mais longe: 25 gramas e seis colheres.

Maus hábitos como a alimentação inadequada – assim como o tabagismo, o sedentarismo e o uso de álcool – aumentam a obesidade em mais de 60% e também o risco de diabetes. Segundo o Ministério da Saúde, a chance de câncer aumenta 27,6% nesses cenários.

“[O acordo] é uma parte, é papel do Estado e da indústria procurar oferecer ao cidadão alimentos mais saudáveis para que possa evitar doenças crônicas não transmissíveis”, afirmou o ministro, que defende atenção dos brasileiros à quantidade de açúcar.

Produtos

Firmado com a indústria nacional, o acordo tem o compromisso de reduzir o açúcar em cinco categorias de alimentos até o ano de 2022: bebidas, biscoitos, bolos prontos, mistura para bolos, achocolatados e produtos lácteos.

As metas serão monitoradas a cada dois anos e valerão para os produtos de cada categoria que têm a maior quantidade de açúcar consumido pela população. Segundo a Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação (Abia), os termos eram negociados há um ano.

Além do Ministério da Saúde e da Abia, firmaram compromisso a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e as associações brasileiras de Laticínios; das Indústrias de Refrigerantes e de Bebidas não Alcóolicas; e das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães e Bolos Industrializados.

Porcentagem de redução

  • Biscoitos: diminuição de 62,4% no açúcar;
  • produtos lácteos: diminuição de 53,9% no açúcar;
  • mistura para bolos: diminuição de 46,1% no açúcar;
  • bebidas açucaradas: diminuição de 33,8% no açúcar;
  • bolos prontos: diminuição de 32,4% no açúcar;
  • achocolatados: diminuição de 10,5% no açúcar.

*Com informações da Agência Brasil