Alves e Cunha tinham “conta conjunta”, diz Suíça

  • Por Estadão Conteúdo
  • 07/06/2017 08h43
Presidente Henrique Eduardo Alves discursa em defesa da imagem da Câmara e do Congresso Nacional em referência a matéria do programa Fantástico, da Rede Globo, veiculado no último domingo (8) Data: Foto: JBatista / Câmara dos Deputados - 10/06/2014Henrique Eduardo Alves

Uma empresa no centro de Genebra fez a gestão de uma “conta conjunta” de dois ex-presidentes da Câmara presos, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A Suíça repassou a procuradores brasileiros detalhes das transações de Alves, há um ano. Ele era investigado em Berna desde fevereiro de 2016 por lavagem de dinheiro e corrupção passiva.

Alves pode ter transferido o dinheiro para contas no Uruguai e Dubai. A defesa de Alves alega que ele usou um escritório de advocacia no Uruguai para abrir a conta bancária em 2008, a Posadas&Vecino. A reportagem visitou o endereço da Posadas&Vecino em Genebra. O local é uma sala alugada em um escritório. A empresa é registrada nas Ilhas Virgens Britânicas.