Previdência ‘não é a que queremos, mas é a que podemos aprovar’, afirma Bolsonaro

  • Por Jovem Pan
  • 06/11/2018 14h42
Wilton Junior/Estadão Conteúdo"Gostaríamos que saísse alguma coisa", disse o presidente eleito

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) voltou a afirmar nesta terça-feira (6) que quer votar ainda neste ano alguma parte da Reforma da Previdência. “Ela não é a que queremos, mas é a que podemos aprovar”, disse. “Talvez haja oportunidade (de votar). Gostaríamos que saísse alguma coisa. É aquilo que podemos aprovar na Câmara e no Senado”. Bolsonaro se encontrará com o presidente Michel Temer na quarta (7) para conversar sobre o assunto.

O presidente eleito participou de um almoço no Ministério da Defesa com seu ministro da Fazenda, Paulo Guedes. Mais cedo, esteve em uma cerimônia em comemoração aos 30 anos da Constituição de 1988 no Congresso.

Bolsonaro evitou citar novos nomes de ministros e disse que a definição final dos ministérios deve sair até o fim de novembro. “O que não podemos é anunciar alguém e depois dizer que mudou”, pontuou. Ainda reforçou que o apoio do senador Magno Malta (que não conseguiu a reeleição) é “imprescindível”.

Paulo Guedes

Questionado se as Forças Armadas terão mais recursos, Bolsonaro foi enfático ao responder que “quem manda na economia” é Paulo Guedes.

“Segundo Paulo Guedes, as Forças Armadas não terão recursos contingenciados. Segundo Paulo Guedes, ele que manda na Economia. Eu acho que nada mais justo, é um reconhecimento às Forças Armadas não contingenciar recursos, que são tratados com tanto zelo pelas Forças Armadas, e que grandes serviços prestam ao Brasil, especialmente em momentos difíceis que a Nação atravessa”, explicou.

Também participaram do almoço o general Augusto Heleno, os filhos de Bolsonaro, Gustavo Bebianno, o vice-presidente eleito Hamilton Mourão, entre outros.

*Com informações do Estadão Conteúdo